Saúde

Mulher passa 24h com barata no ouvido; veja o que fazer

Publicado

source
O médico André Defaveri retirou a barata do ouvido de Aline, após mais de 24 horas com o inseto no ouvido
Aline Lopes/Arquivo pessoal

O médico André Defaveri retirou a barata do ouvido de Aline, após mais de 24 horas com o inseto no ouvido

O caso é de deixar qualquer um, no mínimo, curioso, com agonia ou criando coceiras psicológicas só de pensar. Uma mulher passou mais de 24 horas com uma barata viva dentro do ouvido, em Cabo Frio. Aline Lopes estava dormindo na casa da sogra, no bairro Jardim Esperança, quando acordou desesperada na madrugada do último domingo (5), com o incômodo, conforme contou ao G1.

A bichana só foi retirada do ouvido de Aline depois de ela passar um dia inteiro por vários hospitais até conseguir atendimento especializado. Inicialmente, ela foi à unidade de saúde mais próxima, que não tinha especialista de plantão e nem o material adequado para realizar o procedimento. Os profissionais a orientaram a buscar atendimento em Macaé ou em São Pedro da Aldeia.

Nesse último, os enfermeiros tentaram tirar a barata com um sugador, mas não conseguiram por falta de equipamentos. Com o tímpano machucado, Aline relatou que sentia dor e, por isso, foi sedada pela equipe médica, que tentou transferi-la para um hospital no Rio, mas sem sucesso, por falta de vaga. O alívio só veio na segunda-feira (6), quando um médico particular ficou sabendo da história e entrou em contato com Aline para fazer o procedimento de forma gratuita.

Veja Mais:  “Mais Médicos vive uma crise de improvisações”, diz futuro ministro da Saúde

Além de Aline, nenhum caso havia sido registrado em Cabo Frio desde 2020, quando foi registrado apenas um episódio de retirada de corpo estranho animado (vivo) ou não de ouvido, faringe, laringe e nariz. Os dados são do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), do Ministério da Saúde.

A recomendação de especialistas é procurar atendimento especializado com urgência. De imediato, a pessoa pode pingar algumas gotinhas de óleo ou água para tentar imobilizar o inseto, inclinar a cabeça e ver se ele vai cair pela gravidade, conforme orienta o otorrinolaringologista Felippe Félix.

“A primeira coisa que tem de fazer é evitar ficar brigando com o inseto dentro do ouvido. Evitar cotonete ou outros equipamentos para espetar e machucar o inseto, se não ele vai acabar reagindo e causando mais incômodo. Tentar tirar com outros objetos também pode ferir o tímpano e complicar ainda mais a situação”, aconselha o chefe do Serviço de Otorrinolaringologista do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho.

Segundo o médico, os insetos mais encontrados nesses casos são baratas pequenas, mosquitos, em sua maioria pernilongos, formigas com menos frequência, porque entram e saem espontaneamente, e outros insetos pequenos. Ele alerta para uma situação ainda mais grave que pode acontecer se o inseto deixar larvas dentro da cavidade onde se instalou, processo conhecido como miíade.

Veja Mais:  Fiocruz: casos de síndrome respiratória em adultos seguem aumentando

“O quadro é ainda mais avançado e demanda atendimento específico para evitar que o bicho cresça lá dentro. O tratamento é feito à base de medicamentos e inclui uma limpeza em ambiente hospitalar com anestesia. Se tiver perfuração no tímpano, uma membrana sensível, o procedimento é ainda mais profundo para averiguar se há larva no ouvido médio”, explica.

No Rio, até os quatro primeiros meses deste ano, foram registrados 191 casos de retirada de corpo estranho (animados ou não) de ouvido, faringe, laringe ou nariz.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Vacinação contra a gripe é ampliada a partir deste sábado no país

Publicado

source
Reforço para a imunização ocorre pelo SUS (Sistema Único de Saúde)
Rovena Rosa/Agência Brasil – 19.01.2022

Reforço para a imunização ocorre pelo SUS (Sistema Único de Saúde)

A campanha contra a gripe será ampliada a partir deste sábado (25) para a população a partir de 6 meses de idade, em todo o país, enquanto durarem os estoques da vacina. A mobilização busca prevenir complicações decorrentes da doença e diminuir óbitos e pressão sobre o sistema de saúde.

Quem faz parte do público-alvo e ainda não se imunizou, também poderá se vacinar. Para receber a vacina da gripe, basta ir a qualquer posto de vacinação. O Sistema Único de Saúde (SUS) tem cerca de 38 mil salas de vacinas espalhadas por todo país e o Ministério da Saúde já distribuiu 80 milhões de doses da vacina contra a gripe para estados e Distrito Federal.

Até o momento, a mobilização contra a doença atingiu 53,5% de cobertura vacinal. “Os pressupostos para o sucesso das campanhas de vacinação são absolutamente atendidos no nosso país. Temos vacinas, temos uma capacidade sem precedentes de aplicação, graças aos vacinadores que estão nas salas de vacinação do Brasil .

Ano passado, tivemos casos em várias regiões do País por conta da cepa H3N2 . A vacina deste ano já protege contra essa cepa e as passadas. Precisamos combater essas doenças”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Ele fez um apelo à população para que à população para que ajude a aumentar os índices de imunização contra a doença no Brasil. Veja os grupos preferenciais, a seguir.

Veja Mais:  O que é salmonela? Bactéria causou recall de Kinder Ovo no Reino Unido

Idosos acima de 60 anos; Trabalhadores da saúde; Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias); Gestantes e puérperas; Povos indígenas; Professores; Pessoas com comorbidades; Pessoas com deficiência permanente; Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas; Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; Trabalhadores portuários; Funcionários do sistema prisional; Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; População privada de liberdade.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos

Publicado

source
Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos
Reprodução / CNN Brasil – 17.06.2022

Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos

O Brasil registra, no momento, um total de 17 casos confirmados para a varíola dos macacos – monkeypox –, sendo 11 em São Paulo, dois no Rio Grande do Sul e quatro no Rio de Janeiro. Outros dez casos seguem em investigação. Do total de caso, cinco seriam autóctones, o que significa que houve transmissão local da doença. Dois deles no Rio de Janeiro e três em São Paulo.

Nesta sexta-feira (24), a pasta foi notificada de três novos casos da doença no país, sendo dois no estado do Rio de Janeiro e outro no estado de São Paulo, confirmados pelos laboratórios da Fiocruz-RJ e Adolf Lutz em São Paulo. Os dois casos do Rio de Janeiro já tinham sido confirmados pela prefeitura na noite de quinta-feira (23).

Em São Paulo, trata-se de um caso importado, com histórico de viagem para a Europa. O paciente é do sexo masculino, 29 anos, residente na capital paulista. Segundo informações do MS, os casos apresentam quadro clínico estável, sem complicações e estão sendo monitorados pelas Secretarias de Saúde dos estados e municípios.

São Paulo

Nesta quinta (23), o Ministério da Saúde foi notificado de três casos autóctones confirmados para a varíola dos macacos no estado de São Paulo, segundo divulgou a pasta. São três pacientes do sexo masculino, residentes na capital paulista, com idade entre 24 e 37 anos, sem histórico de viagem para países com casos confirmados.

Veja Mais:  Mulher perde as duas pernas e um braço após tosse indicar infecção generalizada

De acordo com o MS, os casos ainda estão em investigação para a busca de vínculos de transmissão. Eles estão isolados, com quadro clínico estável, sem complicações e sendo monitorados pelas Secretarias de Saúde do Estado e do município.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Programa busca inserir pediatras e ginecologistas em todas as UBSs

Publicado

source

Um dos aspectos mais importantes da atuação do SUS (Sistema Único de Saúde) é o amparo à saúde da família, por meio de investimento para melhoria e qualificação do contínuo atendimento das equipes de saúde nas Unidades Básicas de Saúde em seu compromisso de assistência aos brasileiros. O Cuida Mais Brasil , programa lançado pelo governo federal no começo deste ano, se insere neste contexto, de ampliar o cuidado da mulher, gestante e criança na Atenção Primária à Saúde (APS).

Programa busca inserir pediatras e ginecologistas em todas as UBSs do País
Pexels

Programa busca inserir pediatras e ginecologistas em todas as UBSs do País

Esse primeiro ano do programa prevê o repasse de R$ 194 milhões para os municípios inserirema contratação de médicos pediatras e ginecologistas-obstetras para nas unidades básicas de Saúde (UBS) para atuarem em conjunto com as equipes de saúde da atenção primária nas unidades básicas de Saúde (UBS) de todo o Brasil. A ideia do Ministério da Saúde é que haja médicos dessa especialidade em todas as UBSs do Paísna porta de entrada do SUS.

Não há necessidade de solicitação de adesão por parte dos municípios e do Distrito Federal, o programa oferecerá apoio técnico aos municípios com vistas ao aumento da resolubilidade da Atenção Primária, bem como qualificar os processos processos de trabalho que contribuem para a integralidade do cuidado no âmbito do APS.

Veja Mais:  Por que o álcool 70% é mais eficaz como bactericida que o álcool absoluto?

Ao todo, serão sete parcelas mensais transferidas na modalidade fundo a fundo, ou seja, o incentivo financeiro sai da esfera federal e vai direto para as esferas municipal e do Distrito Federal. Nesses moldes, o valor mínimo é de R$ R$ 108.684,32, enquanto o máximo é de até R$ 489.314,42.

Para o cálculo do valor destinado a cada Região de Saúde, são levados em consideração o quantitativo populacional estimado pelo IBGE para 2021, o perfil geográfico predominante e a proporção de pediatras e ginecologistas-obstetras registrados no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES). Os estados e municípios, por meio da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que tem a representação das duas esferas administrativas, vão sinalizar ao Ministério da Saúde por meio de resoluções quais serão os municípios dessas regiões que vão receber o repasse e os valores para cada.

Reforço necessário

De acordo com o Ministério da Saúde, até o início do ano 5,7 mil pediatras e 5,3 mil ginecologistas-obstetras estão vinculados diretamente a 1.311 e 1.364 equipes, respectivamente, sem incentivo financeiro federal. O Cuida Mais Brasil vai incentivar a inclusão e fixação desses profissionais na Atenção Primária, qualificando os atendimentos nas UBS. Com o programa, o número de equipes com médico pediatra pode chegar a mais de 8 mil e 7 mil com ginecologistas-obstetras em todo país.

O programa busca fortalecer o cuidado materno-infantil e a atuação rotineira dos médicos pediatras e ginecologistas-obstetras é fundamental para que isso aconteça.

Veja Mais:  Futuro ministro da Saúde avaliauso de médicos militares para suprir cubanos

O Cuida Mais Brasil surge na esteira de outras ações do governo federal, como é o caso do Previne Brasil, um modelo de estruturação de financiamento focado em aumenta o acesso das pessoas aos serviços da atenção primária, que promoveu um salto de 20% na média na nota média de desempenho dos municípios em apenas oito meses.

Essa é a expectativa do Ministério da Saúde. Que o Cuide Mais Brasil , cujo objetivo é assegurar mais e melhor assistência a mulheres, gestantes e crianças em todo o Brasil por meio do SUS, apresente resultados alinhados ao contemplados pelo Previne Brasil.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana