Portal Agro

Produtor precisa recolher Anotação de Responsabilidade Técnica de 2020

Publicado


Defesa Agrícola

Produtor precisa recolher Anotação de Responsabilidade Técnica de 2020

Documento comprova que propriedade tem acompanhamento técnico de engenheiro

20/10/2020

A cada nova safra, os produtores rurais de Mato Grosso precisam ficar atentos a algumas obrigações legais exigentes para condução da lavoura, uma delas é recolher a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), a qual comprova que a propriedade tem acompanhamento técnico de um engenheiro agrônomo. A orientação da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) é para que os agricultores façam a quitação da guia de recolhimento, clicando neste link. 

A exigência de um profissional responsável técnico e do recolhimento da ART estão previstos na Lei 5.194/1966, que regula as profissões de engenheiro agrônomo e engenheiro. O objetivo dessa obrigatoriedade é garantir um instrumento de defesa para o produtor, pois formaliza o compromisso do profissional e a qualidade dos serviços prestados.

Para mais informações entre em contato com a Comissão de Defesa Agrícola, (65) 3644-4215

 

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Veja Mais:  Movimento Pró-Logística participa do Centro-Oeste Export

Portal Agro

Fundação MT realiza evento online sobre a cultura do algodão

Publicado

Foto: Assessoria

Os resultados mais recentes das pesquisas sobre a cultura do algodão estão sendo apresentados no Encontro Técnico Algodão realizado de forma online pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT.

A qualidade da fibra de algodão produzida nas lavouras do Brasil, a avaliação da safra 19/20 e o manejo da cultura do algodão norteiam as apresentações dos renomados especialistas que fazem parte da equipe técnica do evento. Os desafios da produção de algodão e as oportunidades do mercado nacional e internacional também estão sendo debatidos.

De acordo com Leandro Zancanaro, diretor técnico da Fundação MT, a fibra de algodão produzida pelos cotonicultores brasileiros é referência no mundo, porém há detalhes que precisam ser melhorados. E isso passa por entender melhor a cultura do algodão e suas interações com a estratégia de manejo.

“A safra 19/20 teve condições climáticas com pouca chuva no mês de abril, e chuvas pontuais no mês de maio, assustando inicialmente muitos que trabalham com a cultura do algodão. Mas, no geral foi uma safra boa em relação a produtividade, com frequência elevada de campos com produtividades maiores que nos anos anteriores. A avaliação da safra 19/20 nos traz um aprendizado muito grande para entender a planta de algodão, e ajudar a fazer os ajustes finais para a safra 20/21, que começa com um atraso da cultura de verão (soja) com implicações grandes para a do algodão que ainda vai ser implantado”, avaliou Zancanaro.

Veja Mais:  Movimento Pró-Logística participa do Centro-Oeste Export

Diante deste cenário é que a Fundação MT reúne de forma online desde terça (17) pesquisadores, consultores, agrônomos e analistas de diferentes esferas para difundir tecnologia agronômica dessa cultura que tem alto valor de investimento e tem como principais gargalos para a safra 2020/21 as condições climáticas, a fitossanidade e a rastreabilidade.

“A programação do Encontro Técnico Algodão online contempla assuntos sobre qualidade da fibra produzida pelo Brasil, condições meteorológicas e a influência para a cultura do algodão, cenário e desafios futuros para a cotonicultura, manejo de doenças, plantas invasoras, nematoide Aphelenchoides, bicudo, uso de produtos biológicos na cultura do algodão, ambientes de produção e produtividade. Sabemos que o algodão é uma cultura de alto valor financeiro, alto potencial produtivo e temos que pensar como aproveitar esse potencial do algodão associado ao manejo para dar uma longevidade a esse algodão, seja técnico, seja econômico, ambiental e também em termos de rastreabilidade. O mercado internacional quer entender melhor como o nosso algodão é produzido”, explicou o diretor técnico da Fundação MT.

Participam do evento produtores rurais, agrônomos, técnicos agrícolas, consultores e pesquisadores de todo o Brasil. Eles recebem as informações sobre os resultados de pesquisas, experiências de consultores, conhecem experiências inovadoras na cotonicultura, interagem com os palestrantes e tiram dúvidas diretamente com os especialistas. O evento começou terça (17) e acontecerá até dia 19 (quinta-feira). Mais informações no www.fundacaomt.com.br.

Veja Mais:  Fernando Cadore é eleito presidente da Aprosoja Mato Grosso

Continue lendo

Portal Agro

Aprosoja e LIDE MT debatem Reforma Administrativa

Publicado


Fortalecimento Institucional

Aprosoja e LIDE MT debatem Reforma Administrativa

O evento contou com a participação de líderes empresariais e políticos que discutiram no formato almoço-debate o assunto

18/11/2020

Em Mato Grosso, o movimento pela Reforma Administrativa cresce. Lideranças de diferentes segmentos econômicos voltaram a debater o assunto nesta terça-feira (17), presencialmente e por meio de plataformas digitais. O evento, no formato almoço-debate, foi promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado, (Aprosoja), em parceria com o Grupo de Líderes Empresariais de Mato Grosso (LIDE MT).

Na tônica dos debates, o alerta de que reformas administrativa e tributária precisam ser encaradas pelo Estado brasileiro de forma sinérgica e urgente. Na prática, conforme exaltam lideranças setoriais, a matriz tributária no Brasil precisa ser revista, como nunca, para que o ambiente de negócios seja mais atrativo a investimentos e geração de empregos. Mas para além do sistema ideal de arrecadação de tributos, é necessário que gestões públicas gastem menos e melhor, entregando valor à sociedade.

“Essa pauta precisa ser externada à sociedade, que é a grande impactada, tanto em relação à reforma administrativa quanto em relação à reforma tributária. Isso não é um enfrentamento contra o servidor público. O que estamos defendendo é a equalização de despesas da máquina pública”, destaca Wellington Andrade, diretor executivo da Aprosoja.

Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em setembro projeta que medidas de enxugamento na máquina pública podem gerar uma economia de R$ 1,750 trilhão aos cofres brasileiros no período de 2021 a 2039. As cifras consideram impactos de medidas já adotadas, com destaque ao congelamento dos vencimentos de diversas carreiras do funcionalismo público no período 2020-2021, e ações futuras propostas no âmbito de uma reforma administrativa.

Veja Mais:  Chuvas para o mês de novembro serão 42% menores dos últimos 5 anos

O tema, certamente, é polêmico. “A Reforma Administrativa mexe com uma palavrinha chave chamada estabilidade. O corporativismo vai agir como anticorpos gigantes. Eles estarão lá. É inaceitável que durante uma crise como essa da Covid, onde todos cortamos na carne, não haja uma contribuição do funcionalismo, da máquina pública. Houve? Desconheço”, declara o presidente do LIDE Indústria, Paulo Nigro, um dos CEOs de maior renome no país.

Queda de braço – Voz política que se projeta nas articulações pela aprovação da Reforma Administrativa em Brasília, o deputado federal por São Paulo Vinícius Poit (Novo) acredita que a matéria será votada no Congresso Nacional ainda no primeiro semestre de 2021. Até lá, prevalecerá uma intensa agenda de discussões partidárias e entre corporações, que já antevê, como próximo capítulo, a propositura de emendas ao texto final do projeto.

“Lutaremos para ser a melhor reforma possível. Mas é sabido que não adianta querer tudo. Pode-se não chegar ao ideal, mas vamos caminhar. O Governo (federal) está praticamente refém do Centrão no Congresso Nacional e está indo para um caminho perigoso. Realmente, será difícil. E é por isso que precisamos ser fortes”, posiciona Poit.

A régua do contribuinte – Para o presidente do LIDE MT, Evandro César dos Santos, a composição ideal entre reforma administrativa e tributária deve se apoiar em dois pilares fundamentais: o poder contributivo do brasileiro e um gasto público verdadeiramente focado no interesse público, na economicidade e na eficiência.  

Veja Mais:  Fernando Cadore é eleito presidente da Aprosoja Mato Grosso

“E não estamos falando somente do Poder Executivo. O Legislativo e o Judiciário também precisam se empenhar nessa missão. Vamos a um exemplo prático: na casa da gente, se não alinharmos o gasto com aquilo que há de receita, temos o desafio gigante de cobrir as contas. Numa empresa, isso pode culminar num problema sério, que é a insolvência, a falência. O gasto público deve ser concebido e executado sob essa mesma ótica, para que os investimentos necessários à população efetivamente aconteçam”, observa.  

 

 Com Assessoria LIDE MT

 

 

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Portal Agro

NOTA DE PESAR – DOMINGOS MOCELIN

Publicado


Fortalecimento Institucional

NOTA DE PESAR – DOMINGOS MOCELIN

Era associado ao núcleo de Sinop desde 2010

16/11/2020

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) comunica e lamenta o falecimento do senhor Domingos Moncelin, 55 anos, ocorrido nesta segunda-feira (16.11), em Nova Mutum.

Sr. Domingos era presidente do Grupo Mocellin e associado ao núcleo de Sinop, mas exercia suas atividades agrícolas no município de Vera. Ele deixa esposa e filhos. O velório deve ocorrer na funerária Dois Irmãos, em Nova Mutum e o sepultamento no cemitério municipal.

A diretoria e todos os colaboradores da Aprosoja Mato Grosso se solidarizam com a dor dos familiares, amigos e dos que com ele conviveram na esfera profissional.

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Veja Mais:  Fernando Cadore é eleito presidente da Aprosoja Mato Grosso
Continue lendo

CAMPANHA COVID-19 ALMT

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana