Nacional

São Paulo terá sexta-feira 13 com chuva, raios e alagamentos

Publicado

CGE arrow-options
Reprodução/CreativeCommons

CGE alerta sobre chuvas fortes e possibilidade de alagamentos

A previsão do tempo para esta sexta (13), na capital paulista é de muitas nuvens e tempo abafado devido à alta umidade, que permanece durante todo o dia acima de 60%.  A temperatura mínima será de 19ºC e a máxima de 25ºC. A informação é do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas ( CGE ).

Leia também: Imagens mostram momento em que vereador é sequestrado; veja

Uma frente fria vinda do oceano trará áreas de instabilidades que provocam pancadas de chuvas generalizadas, raios e rajadas de vento por São Paulo . O CGE alerta riscos de queda de árvores, alagamentos, deslizamento e transbordamento de rios e córregos.

Veja Mais:  Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Nacional

Projetos sustam decreto que autoriza concessão do Parque Nacional de Brasília à iniciativa privada

Publicado


.
Acervo ICMBio
Trilha da Capivara no Parque Nacional de Brasilia

Três propostas apresentadas à Câmara dos Deputados sustam o decreto do governo (Decreto 10.447/20) que autoriza a concessão à iniciativa privada do Parque Nacional de Brasília – também conhecido como Água Mineral – e do Parque Nacional de São Joaquim, em Santa Catarina.

Publicado no dia 10 de agosto, o decreto inclui as unidades de conservação no Programa Nacional de Desestatização, permitindo a concessão dos serviços públicos de apoio à visitação, à conservação, à proteção e à gestão das unidades. Hoje o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia ligada ao Ministério do Meio Ambiente, é responsável por essas tarefas.

Importância estratégica
“Não precisamos privatizar parques e não devemos, mas sim cumprir a legislação ambiental, e melhorar nossa imagem internacional”, diz o deputado Professor Israel Batista (PV-DF), autor do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 364/20, assinado por toda a bancada do PV.

Ele lembra que o DF passou por fortes crises hídricas em 2017 e 2018 e destaca que o Parque Nacional de Brasília tem “importância estratégica para a garantia do serviço essencial de fornecimento de água para a população do Distrito Federal”. O parque protege as bacias dos córregos formadores da represa Santa Maria, responsável por parte do abastecimento de água da capital.

Veja Mais:  Congresso promulga MP que regulamenta auxílio a setor cultural

O parlamentar acrescenta que o parque tem a função de preservar a vegetação típica do cerrado, contribuindo para o equilíbrio das condições climáticas e para o controle da erosão dos solos no DF.

Agenda antiambiental
“A medida representa mais uma ação na agenda antiambiental do governo Bolsonaro e da gestão Salles [no Ministério do Meio Ambiente]”, afirma a líder do Psol, deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS), na justificativa do PDL Projeto de Decreto Legislativo 369/20. O texto foi assinado por outros nove deputados do partido.

Para ela, há “conflito de interesses envolvido nas medidas de concessão, considerando que o objetivo destas empresas sempre será o lucro, o que é incompatível com a missão intrínseca à implementação de qualquer área natural protegida”. Na visão dos parlamentares, para garantir a plena conservação dos ecossistemas, o governo deveria fortalecer e aumentar o quadro dos órgãos federais ambientais.

Interesse público
Autor do PDL 363/20, o deputado José Guimarães (PT-CE) também acredita que, se a concessão se concretizasse, os “interesses econômicos de exploração turística desses parques se sobreporiam às necessidades de sua preservação e da preservação dos recursos naturais que deles depende”.

Conforme ele, “as atividades de conservação demandam, muito além de amplos investimentos, dificilmente suportados por empresas privadas, escolhas de manejo sustentável que envolvem interesses exclusivamente públicos”.

Reportagem – Lara Haje
Edição – Rachel Librelon

Veja Mais:  Câmara lança curso para estimular participação feminina nas eleições

Continue lendo

Nacional

Nova lei dá prazo de 120 dias para devolução de auxílio federal a cultura

Publicado


.
Carol Garcia/Governo da Bahia
Cultura - popular - grafitti artes visuais tintas atividades ressocialização presos (presidiários do Complexo Penitenciário da Mata Escura-BA)
Recursos beneficiarão trabalhadores informais da cultura que não tenham recebido o auxílio geral

Entrou em vigor nesta sexta-feira (14) a Lei 14.036/20, que prevê prazo para estados e o Distrito Federal devolverem aos cofres da União os recursos não usados de repasses vinculados à Lei Aldir Blanc. A norma, publicada no Diário Oficial da União, foi promulgada pelo presidente do Senado e do Congresso, Davi Alcolumbre.

A nova lei fixa o prazo em 120 dias, contados da data do repasse federal, para que os estados e o DF deem um destino para os recursos recebidos. Regulamento do governo federal definirá a forma e o prazo para devolução do que não for utilizado ao governo federal.

A Lei Aldir Blanc prevê prazo máximo de 60 dias para os municípios darem destinação aos recursos, caso contrário, os valores serão automaticamente revertidos ao fundo estadual de cultura. Entretanto, não havia prazo para os estados e o DF usarem os recursos, situação que agora é resolvida com a Lei 14.036/20.

A Lei 14.036/20 é oriunda da Medida Provisória 986/20, aprovada pelo Congresso Nacional sem modificações. O texto foi relatado na Câmara dos Deputados pelo deputado José Guimarães (PT-CE).

R$ 3 bilhões de auxílio
Sancionada em junho, a Lei Aldir Blanc autorizou a União a destinar R$ 3 bilhões para socorrer o setor cultural durante a pandemia. Os recursos serão aplicados pelos estados, Distrito Federal e municípios, que receberão os repasses.

Veja Mais:  Projetos sustam decreto que autoriza concessão do Parque Nacional de Brasília à iniciativa privada

O montante será usado para o pagamento de três parcelas de auxílio emergencial, no valor de R$ 600, a trabalhadores informais da cultura que não tenham recebido o auxílio geral. O dinheiro servirá ainda para conceder subsídios e financiar a manutenção de empresas e de espaços artísticos e culturais.

Metade do valor (R$ 1,5 bilhão) ficará com os estados e com o Distrito Federal. A outra metade ficará com o DF e com os municípios.

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Natalia Doederlein

Continue lendo

Nacional

Câmara lança curso para estimular participação feminina nas eleições

Publicado


.

A Câmara dos Deputados, por meio da Escola Virtual da Cidadania, preparou o curso Mulheres na Política, com conteúdos sobre democracia, orçamento público e funcionamento do Estado, bem como noções essenciais sobre legislação eleitoral, financiamento de campanhas e atuação partidária.

O objetivo é, entre outros, elucidar conceitos como eleições proporcionais, quociente eleitoral e coligações, além de explicar como funcionam as candidaturas coletivas para cargos do Poder Legislativo. Também é possível aprender sobre estratégias de comunicação, uso de mídias sociais, formação de rede de apoiadores, construção de credibilidade e combate à desinformação.

O curso tem um olhar atento para as peculiaridades de uma campanha a ser realizada por mulheres que têm interesse em exercer mandatos eletivos e não sabem muito bem por onde começar. Os conteúdos estão disponíveis na plataforma da Escola Virtual de Cidadania. As inscrições são gratuitas.

Serviço:

Curso Mulheres na Política

Público-alvo: aberto a qualquer cidadão interessado no tema, o curso é dirigido prioritariamente a mulheres filiadas a partidos políticos, habilitadas a se candidatar a cargos eletivos

Carga horária: estimada em 8 horas (curso autoinstrucional a distância)

Endereço: evc.camara.leg.br (formato acessível e responsivo)

Conteúdo programático:

Percurso 1 – O que é preciso para me tornar candidata?
. Registrar minha candidatura
. Buscar o financiamento da minha campanha eleitoral
. Organizar minha campanha eleitoral

Percurso 2 – Como aumentar as minhas chances de vencer as eleições?
. Fortalecendo minha atuação dentro do partido político
. Utilizando o sistema eleitoral a meu favor
. Conhecendo as estratégias de comunicação

Veja Mais:  Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Percurso 3 – O que preciso conhecer para construir meu plano de campanha?
. O funcionamento geral do Estado e da política
. O orçamento público
. O assessoramento no mandato

Percurso 4 – Como superar as dificuldades de ser mulher na política?
. Conhecendo como foram construídas as desigualdades entre mulheres e homens
. Sabendo como entrar no jogo político
. Fortalecendo-se na luta feminina

Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana