Rondonópolis

Sinfra esclarece em detalhes a execução da obra da Avenida Poguba

Publicado


Como é atribuição do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) abrir inquéritos que lhe possibilitem conhecer as ações de entes públicos e privados a fim de assegurar, entre outros aspectos, o respeito e adequada realização dos serviços ofertados à população, este órgão estatal lançou mão desse mecanismo e, por meio dele, questionou a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra) a respeito da boa condução da obra da Avenida Poguba.

Aproveitando a oportunidade, a Sinfra entregou ao MPE os documentos existentes sobre os trabalhos realizados na Poguba, além de responder aos questionamentos feitos para que a entidade tivesse acesso a todos os registros dos procedimentos que comprovam que a Pasta agiu de acordo com os princípios da legalidade e, agora, aproveitando, também, para dar publicidade dos seus atos. A Secretaria ainda ressalta que encontrou problemas técnicos no decorrer das atividades, ao identificar características imprevisíveis na Avenida Poguba, mas que em nenhum momento ocorreram problemas ou situações em desacordo com a lei.

Na documentação apresentada ao MTE consta todo o histórico da obra, desde a licitação pelo valor de R$6.732.655,67, que ocorreu em janeiro de 2019, até a falta de repasses do Governo Federal por meio Ministério do Turismo – que é o órgão financiador desta obra – e, por conta disso, a Prefeitura pediu à empresa Amil, responsável pela obra, para suspender seus serviços em dezembro de 2019 já que os recursos federais não estavam chegando.

Veja Mais:  Prefeito participa de missa de corpo presente e das últimas homenagens a Dom Juventino

“Achamos justo e por bem, até para preservar a empresa, porque, ao entrarmos em contato com o Ministério do Turismo, eles não davam uma perspectiva de quando enviariam os recursos”, comenta a secretária de Infraestrutura, Claudine Logrado.

Em maio de 2020 houve uma reunião com a Caixa Econômica em que José Carlos do Pátio fez uma solicitação, como lembra Claudine: “O prefeito pediu à Caixa que o Município pudesse retomar a obra com recursos próprios e, depois, quando os repasses federais viessem, se a Administração de Rondonópolis tivesse pago algum valor a mais do que a sua contrapartida, que era de R$545 mil, o montante que ultrapassasse esse valor seria compensado do dinheiro da Caixa”. Assim, no quinto mês do ano passado as obras foram retomadas pela segunda pista, com pavimentação nova. Os repasses do Ministério do Turismo só chegaram em agosto de 2020.

Imprevistos

Claudine conta que, ao reiniciar os trabalhos, a Sinfra foi surpreendida: “Quando retomamos a obra, encontramos alguns problemas. O primeiro foi uma rede de drenagem existente que estava muito rasa e que atrapalhou o corte que precisávamos fazer para a base da pista nova”.  Essa rede de drenagem pertence ao Condomínio Bela Vista.

Ela ainda completa que, depois foi encontrado outro problema: Quando fomos fazer a fressagem e a recuperação da pista velha, ao realizarmos um ensaio de laboratório, descobrimos que a base estava fraca demais. Então, tivemos que fazer um estudo para reforçar aquela base e fazer o pavimento com qualidade. Fizemos a adição de brita, reciclamos a capa asfáltica para reforçar a base e, assim, gerar um novo pavimento por cima. Esses contratempos, que incluíram problemas técnicos que encontramos no local, além dos atrasos nos repasses federais, acabaram retardando a obra”.  Até o final de 2020, antes de começar o período chuvoso, a empresa tocou a obra normalmente e fez uma parte da sarjeta e meios-fios que separam a ciclovia.

Veja Mais:  Atendimentos presenciais na Prefeitura de Rondonópolis estão suspensos a partir de hoje (29)

Apesar da rede de drenagem não fazer parte do projeto da Poguba, a Prefeitura está elaborando um projeto específico para resolver essa situação. “Já temos uma tubulação de drenagem que sai do Bela Vista e atravessa a avenida. Portanto, iremos utilizar essa tubulação para escoar a água de algumas ruas daquele bairro”, afirma a secretária.

Perspectivas

Devido às chuvas torrenciais que inundaram Rondonópolis este ano, a sarjeta e o meio-fio sofreram algumas avarias. “Como a época das chuvas está chegando ao fim e elas causaram alguns danos na sarjeta e no meio-fio, nós fizemos uma notificação à empresa para reparar esses estragos”, explica a gestora.

De acordo com a secretária, a Amil se prontificou a fazer esse trabalho, que será retomado na semana que vem. “Ela também nos solicitou um reequilíbrio econômico por conta do orçamento da obra ter como data base 2018 e porque, por causa da pandemia, houve uma alta de preços no material da construção civil”, compartilha.

Existem normas e diretrizes que regem a elaboração do reequilíbrio econômico. “Vamos fazer o estudo e dar uma posição para a empresa em breve para que ela verifique se pode terminar a obra conforme as condições apresentadas nesse reequilíbrio”, pontua Claudine. 

Comentários Facebook

Rondonópolis

Tecnologia 5G que irá melhorar produtividade no agronegócio é lançada em Rondonópolis

Publicado

Projeto piloto está sendo testado em fazenda modelo do IMA

Foto: Assessoria

Uma nova tecnologia que irá possibilitar aumento da produtividade e inovação para soluções no agronegócio. Essa é a proposta da 5g Standalone, ferramenta apresentada na terça-feira (11) pelas empresas de telecomunicações TIM e Nokia, em parceria com a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e a ConectarAgro.

O piloto do projeto foi demonstrado na área rural do município de Rondonópolis (240 km de Cuiabá), na sede do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA). Na apresentação, transmissões em tempo real de vídeos feitos em 4k e produzidos a partir de imagens obtidas por drones. A tecnologia permite, por exemplo, fazer a inspeção do plantio em tempo real.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participou do lançamento e exaltou a possibilidade que os agricultores passarão a ter de controlar em tempo real o manejo do plantio. “Temos que democratizar a tecnologia 5G, fazer com que ela seja acessível a todos. Essa é uma ferramenta que irá melhorar a produtividade e muito”.

Para o presidente da ConectarAgro, Gregory Riordan a tecnologia viabiliza uma série de benefícios que ultrapassam o plantio, e permeiam a inclusão digital. “Consegue-se produzir melhores dados para análise o que possibilita por exemplo, redução de agroquímicos, diminuir número de incidentes. Além disso, ela facilita a educação formal e técnica”.

O presidente da Ampa, Paulo Aguiar, explica em linhas práticas, de que forma a 5g Standalone impulsiona a produtividade. Ele pontua que ela permite que o produtor inspecione o plantio, habilitando soluções que podem ser aplicadas à colheita e ao manejo agrícola. Além disso, a gestão de equipamentos e a intercomunicação são facilitadas.

Veja Mais:  Prefeitura de Rondonópolis paga salário de servidores nesta terça (30)

“Isso é algo que viabiliza uma resposta rápida no dia a dia. Permite que o produtor rural monitore de forma instantânea por 24 horas ao dia o que está acontecendo nas lavouras. Os dados são enviados diretamente para a pessoa que pode solucionar os problemas. A informação é rápida, confiável, possibilitando decisões mais assertivas”, ressalta Aguiar

Participaram ainda do evento de lançamento, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o vice-presidente de negócios da TIM, Paulo Gouveia, o Senador Wellington Fagundes, os Deputados Federais Sérgio Souza e Alceu Moreira, presidente e ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio.

Também estiveram presentes Alexandre Schenkel, presidente do Sindicato Rural de Campo Verde e lideranças associativas e sindicais regionais e estaduais.

NOVA TECNOLOGIA

A 5G Standalone é uma ferramenta que independe da estrutura da 4G para funcionar e está sendo encampado pelas empresas de comunicação e Ampa, com o apoio do Conectar Agro. O projeto que foi apresentado ao agronegócio, é o segundo de uma série de 20 que o Ministério das Comunicações apresentará até o fim do ano para diferentes áreas.

O primeiro, foi demonstrado na semana passada, com a ativação de rede do Palácio do Planalto, em Brasília.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Prefeitura e Sanear buscam recursos para obras de saneamento em Brasília

Publicado


O diretor geral Interino do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) Hermes Ávila de Castro juntamente com o representante do escritório de Rondonópolis em Brasília Paulo José Correa se reuniram na última terça-feira (11) na Secretaria Regional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional – MDR com o secretário da pasta Pedro Maranhão e o deputado Federal José Medeiros para tratar da liberação de recursos que serão investidos em obras de saneamento básico em Rondonópolis. 

“Esta reunião tem o objetivo de trazer recursos para melhorar e atingir a universalização do saneamento em Rondonópolis, que já possui mais de 92% de rede de esgotamento sanitário e trata 100% do esgoto coletado”, disse Hermes Ávila.

O bom desempenho da Autarquia rumo à universalização do saneamento no cenário Nacional já rendeu o prêmio pela primeira colocação do Centro Oeste no quesito cidade de grande porte no Ranking da Universalização do Saneamento nos anos de 2019 e 2020, oferecido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). E também, o prêmio do Instituto Trata Brasil 2019, por ser a Cidade com uma das melhores iniciativas em prol ao avanço do saneamento básico de todo o país.

Comentários Facebook
Veja Mais:  Atendimentos presenciais na Prefeitura de Rondonópolis estão suspensos a partir de hoje (29)
Continue lendo

Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis e Sanear buscam recursos para obras de saneamento em Brasília

Publicado

Foto: Assessoria

O diretor geral Interino do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) Hermes Ávila de Castro juntamente com o representante do escritório de Rondonópolis em Brasília Paulo José Correa se reuniram na última terça-feira (11) na Secretaria Regional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional – MDR com o secretário da pasta Pedro Maranhão e o  deputado Federal José Medeiros para tratar da liberação de recursos que serão investidos em obras de saneamento básico em Rondonópolis.

“Esta reunião tem o objetivo de trazer recursos para melhorar e atingir a universalização do saneamento em Rondonópolis, que já possui mais de 92% de rede de esgotamento sanitário e trata 100% do esgoto coletado”, disse Hermes Ávila.

O bom desempenho da Autarquia rumo à universalização do saneamento no cenário Nacional já rendeu o prêmio pela primeira colocação do Centro Oeste no quesito cidade de grande porte no Ranking da Universalização do Saneamento nos anos de 2019 e 2020, oferecido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). E também, o prêmio do Instituto Trata Brasil 2019, por ser a Cidade com uma das melhores iniciativas em prol ao avanço do saneamento básico de todo o país.

Comentários Facebook
Veja Mais:  Moradores do Jardim Ipiranga já utilizam a nova ESF do bairro que foi toda reformada
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana