Portal Agro

Dia do Suinocultor (24/7): tradição familiar é pilar do desenvolvimento do setor

Publicado

foto: divulgação

No interior do Paraná, imigração holandesa e herança entre gerações são pontos fortes dos bons resultados da indústria de proteína animal

Os caminhos que levaram a médica veterinária Deborah de Geus a se apaixonar pela suinocultura foram traçados antes mesmo dela nascer. Descendente de imigrantes holandeses que chegaram ao Brasil no período pós-segunda guerra, a paranaense de 38 anos soube desde pequena qual seria sua “estrada profissional”.

Seu avô, pioneiro na produção de suínos, foi o grande incentivador desse tipo de ofício, no início da década de 1970. “Quando meus pais se casaram, em 1972, meu avô, sogro de meu pai, o presenteou com uma ‘porquinha’, e esse foi o começo de tudo. Já em 1977, meus pais construíram sua primeira maternidade, na época, para alojar dez matrizes, e essa paixão seguiu comigo desde então”, relembra Deborah.

Dedicada, ela buscou se aprimorar e, ao atingir a idade adulta, se formou em Medicina Veterinária pela Fundação Luiz Meneghel, em Bandeirantes (PR). “Sempre tive como objetivo trabalhar na suinocultura, então busquei me especializar. Após a faculdade, trabalhei em uma agroindústria em São Paulo e também em uma consultoria, com a qual obtive diversos aprendizados. Anos depois, retornei e comecei a administrar a empresa familiar, função que exerci nos últimos dez anos”, conta a cooperada da Frísia, na Região dos Campos Gerais, no Paraná.

Veja Mais:  Estradeiro BR-158 está com inscrições abertas

Seu empenho ao ofício familiar, que também a credenciou para o cargo de presidente da Comissão Técnica da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), mostra que o exemplo de Deborah não é um caso isolado, mas uma prova de que o setor tem se beneficiado dos aprendizados do cooperativismo e da herança cultural dos antepassados.

União faz a diferença

Outras duas cooperativas paranaenses, a Castrolanda e a Capal, também possuem bons exemplos de hereditariedade na indústria da suinocultura. Junto da Frísia, as três cooperativas com origem holandesa compõem a Alegra, indústria de alimentos focada em produtos de proteína animal, preocupada com o bem-estar dos suínos e com a sustentabilidade de suas operações.

O cooperado da Castrolanda, Cornélio Borg, por exemplo, foi ao encontro dos interesses do pai, que sempre teve como foco principal a agricultura. Formado em agronomia, Cornélio buscou otimizar a granja de suínos da família ao triplicar a produção. Atualmente, os Borg contam com 1.100 matrizes por mês. “Essa é uma atividade que sempre gostei e procurei me especializar nela. Meu pai criou a granja há uns vinte e cinco anos, mas nunca foi sua atividade mais forte, então, fiz um estágio na Castrolanda, focado em suínos, e hoje administro esse ‘braço’ do negócio da família”, explica Cornélio.

Pai de uma menina de apenas um ano de idade, ele já pensa no futuro e em uma possível “herança” para a filha. “Essa será uma decisão dela, é claro, mas espero que ela tenha a paixão que herdei do meu pai. Tenho certeza que irá gostar, pois é algo de família, mas não cabe a mim decidir se ela vai seguir os passos do pai e do avô”, brinca o suinocultor.

Veja Mais:  Simpósio sobre Fitossanidade será realizado pela Aprosoja-MT

Henry Martinnus Kool, cooperado da Capal, também é produtor de suínos. Com uma granja que tem capacidade para 6 mil animais por ciclo, ele tem três filhos, duas meninas e um menino, que, segundo conta, já o acompanham e gostam de lidar com os animais. “Esse foi um trabalho que começou com o meu pai e que, desde pequeno, eu também aprendi a amar. Atualmente, temos duas granjas e meus filhos me seguem de um lado para outro. Só o futuro poderá dizer o que eles farão quando adultos, mas torço para que a suinocultura continue como um negócio importante para a família”, finaliza Henry.

Comentários Facebook

Portal Agro

Circuito Aprosoja já percorreu 03 municípios da região Sul

Publicado


Fortalecimento Institucional

Circuito Aprosoja já percorreu 03 municípios da região Sul

Até sexta-feira (13.08) a caravana vai visitar mais 03 cidades

10/08/2021

A região Sul recebe durante toda esta semana a 15ª edição do Circuito Aprosoja. A caravana já passou pelos municípios de Alto Taquari, Alto Garças e Rondonópolis. O evento é promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), que traz como tema “Tributação: Quem paga a conta”? Os municípios de Jaciara, Campo Verde e Primavera do Leste serão os próximos a receber o debate.

O palestrante e professor de economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Marcos Cintra, disse que o assunto tributação é um tema importante para toda a sociedade que paga impostos, desde o estudante, proprietário, patrão, trabalhador e a indústria. “O que tenho percebido é que a agricultura no Brasil, por ter sempre um tratamento tributário diferenciado, não se preocupou muito com a questão tributária e é fundamental acompanhar principalmente agora que o sistema tributário está passando por questões muito sérias e fortes. O que eu tenho feito, correndo o Estado é orientar o agricultor para que ele se conscientize da importância de participar do debate”.

Presidente do sindicato de Alto Garças, José Milton, disse que o Circuito é muito importante, trazendo as informações e atualização dos assuntos que são de interesse do produtor. “Hoje temos problemas com a falta de armazéns, com contratos futuros, são várias nossas demandas que estamos apresentando ao presidente da Aprosoja-MT Fernando Cadore”, declarou José Milton.

Veja Mais:  Cerca de 140 pessoas participam do 15º Circuito Aprosoja em Sinop

“O assunto é polêmico, por isso é de suma importância estarmos participando do Circuito, principalmente com a palestra do professor Marcos Cintra, que traz com detalhes o tema tributação”, disse Douglas Júnior Torqueto.

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) está presente no Circuito, por meio do Superintendente da instituição, Daniel Latorraca, disse que estamos vivendo um momento bastante complicado em nível federal. “Estamos discutindo uma série de reformas e a principal é a tributária, que gera impacto na economia. O IMEA vem e contribui com dados importantes para que o produtor rural possa saber o que pode acontecer com as questões dos impostos”.

“Aprosoja-MT se preocupa com a reforma tributária da forma que está sendo apresentada. Por isso, estamos apresentando aos nossos associados os impactos dessa tributação. Muitas pessoas acham que ela simplificaria, diminuiria a carga tributária, mas na verdade os projetos que tramitam no Congresso hoje são uma grande ameaça ao nosso setor, principalmente com a perda de renda para produtor rural e para a sociedade como um todo”, enfatizou o vice-presidente da entidade, Lucas Costa Beber.

Nos próximos dias o Circuito percorrerá os municípios de Jaciara (11.08), Campo Verde (12.08) e Primavera do Leste (13.08). Após a região Sul, o Circuito Aprosoja segue para as regiões Oeste e Leste. O encerramento será no Buffet Leila Malouf, em Cuiabá, no dia 13 de setembro, às 19h.

Veja Mais:  Circuito Aprosoja já percorreu 03 municípios da região Sul

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Estradeiro BR-158 está com inscrições abertas

Publicado


Política Agrícola e Logística

Estradeiro BR-158 está com inscrições abertas

A expedição percorrerá as BRs 158, 155, 153 e MT 326

09/08/2021

Acontecerá entre os dias 23 a 29 de agosto o Estradeiro Aprosoja. O Evento é organizado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), em parceria com o Movimento Pró-Logística. As inscrições estão abertas e o participante pode confirmar até o dia 18 de agosto. Essa é a terceira expedição do ano, e deve percorrer mais de quatro mil e setecentos quilômetros. A saída será em Cuiabá (23.08) e a primeira parada será em Querência. Em seguida, o percurso passará pelos municípios de Vila Rica, Redenção (PA), Marabá (PA), Tucuruí (PA), Palmeirante (TO), Gurupi (GO) e Água Boa (MT).

O objetivo da expedição é percorrer as principais rotas de escoamento de grãos, ouvindo as demandas dos produtores, realizando simpósios e visitas técnicas. Além disso, o Estradeiro leva informações e prestações de contas sobre os trabalhos que estão sendo realizados em prol da logística de Mato Grosso.

As vagas são limitadas e o custo ficará a cargo do participante ou do seu respectivo núcleo. As inscrições podem ser feitas através do WhatsApp (65) 98405-6581 (Diogo Silva).

Programação do Estradeiro Aprosoja – Movimento Pró-Logística de Mato Grosso – 23 a 29/08/2021 – BR 158-155-153-MT 326

Dia 23/08 – Cuiabá (MT) – Querência (MT) – 717 Km

Veja Mais:  Origem Premium: Raça Araguaia desenvolvida em Mato Grosso, ganha novos selecionadores pelo Brasil

Dia 24/08 – Querência (MT) – Vila Rica (MT) – 407 Km

Dia 25/08 – Redenção (PA) – Marabá (PA) – 355 Km

Dia 26/08 – Visita às eclusas de Tucuruí

Dia 27/08 – Marabá (PA) – Palmeirante (TO) – 433 km

Dia 28/08 – Gurupi (TO) – Mara Rosa (GO) – Água Boa (MT) – 762 km

Dia 29/08 – Água Boa (MT) – Cuiabá (MT) – 743 km

Fonte: Augusto Camacho

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Aprosoja-MT vai oferecer curso sobre “Qualidade de Vida no Trabalho”

Publicado


Sustentabilidade

Aprosoja-MT vai oferecer curso sobre “Qualidade de Vida no Trabalho”

As aulas começam no dia no dia 16 de agosto

05/08/2021

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), por meio do Programa Soja Legal, em pareceria com a Faculdade de Tecnologia Senai Mato Grosso (FATEC/SENAI), vai oferecer de forma gratuita  o curso de “Qualidade de Vida no Trabalho”, na modalidade de Ensino à Distância (EAD), com vagas limitadas. O objetivo é dar apoio e capacitar todos os associados da entidade, na produção mais sustentável e na melhoria da qualidade de vida e do trabalho. As aulas começam no dia dia 16 de agosto de 2021.

A carga horária mínima de 16 horas, serão divididos em quatro módulos que correspondem a base de desenvolvimento do curso, como: Introdução à base legal; Programas de Gestão na Propriedade Rural; Legislação Trabalhista e Previdenciária do trabalho rural e as Edificações Rurais (NR 31, NR 24 e NR 18).

“Neste cenário de pandemia, atuando em sintonia com as orientações dos Órgãos de Saúde competentes, e evitando os riscos de transmissão da COVID-19 em nossa sociedade, a Aprosoja-MT quer auxiliar os produtores rurais e os prepostos na gestão de melhoria nas propriedades, com amplo aprendizado acerca das legislações e normas trabalhistas e ambientais aplicáveis na relação entre o homem e o campo”, afirmou a gerente de Sustentabilidade da entidade, Marlene Lima.

Veja Mais:  Cerca de 140 pessoas participam do 15º Circuito Aprosoja em Sinop

Ao final da capacitação, o aluno aprovado receberá o Certificado de Conclusão de Curso pela Instituição FATEC/SENAI e a Aprosoja-MT.

Acesse todas as informações no Regulamento, e inscreva-se.

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE!

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana