Nacional

Operação das Forças Armadas em comunidades do Rio deixa oito mortos

Publicado

Esse é o terceiro dia seguido de operação das Forças Armadas no Complexo do Alemão
Tânia Rêgo/Agência Brasil – 7.3.18

Esse é o terceiro dia seguido de operação das Forças Armadas no Complexo do Alemão

Uma operação das Forças Armadas com cerca de 4.200 agentes e 70 policiais civis está sendo realizada na manhã desta segunda-feira (20) nos complexos da Penha, da Maré e do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. Um intenso tiroteio aconteceu entre os agentes e membros do crime organizado e deixou oito pessoas mortas, segundo o Comando Militar do Leste (CML).

Os integrantes das Forças Armadas
e os policiais estão nas comunidades desde as primeiras horas do dia. O objetivo da ação é a destruição de barricadas, cumprimento de mandados judiciais e as denúncias de atividades criminosas, em especial às ligadas ao tráfico de drogas.

Enquanto os agentes realizam o cerco, a estabilização e remoção de barricadas, os militares realizam também a revista de pessoas e de veículos, além da checagem de antecedentes criminais.  Policiais verificam as denúncias de tráfico de drogas nas comunidades e cumprem mandados judiciais.

Este é o terceiro dia consecutivo de atuação das forças de segurança no Complexo do Alemão
, o principal foco da operação. Na Maré, são feitas operações secundárias.

De acordo com relatos de moradores, muitas pessoas não estão conseguindo sair de suas casas em função da intensa troca de tiros e por orientação dos próprios militares.

Veja Mais:  Indio da Costa deixa cadeia neste sábado, após ter habeas corpus concedido

Considerando os três complexos, cerca de 550 mil pessoas vivem na região. Quem mora nas comunidades chegou a relatar os tiroteios nas redes sociais. “São muitos tiros, helicópteros sobrevoando… Deus proteja os inocentes”, escreveu um morador. “Está em toda parte, o Exército já está no alto do morro”, publicou outro.

Nesta ação, o efetivo de tropas e agentes é quase 60% maior que o número de policiais e militares que ocuparam os dois complexos de favelas
em 2010 – quando foi realizada uma ação preparatória para implantação de oito UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) na região.

Até o momento, o Comando da Intervenção Militar não divulgou números da operação.

Ações anteriores das Forças Armadas

Moradores registraram, nas redes sociais, tiroteios entre agentes das Forças Armadas e membros do crime organizado
Tomaz Silva/Agência Brasil – 27.2.18

Moradores registraram, nas redes sociais, tiroteios entre agentes das Forças Armadas e membros do crime organizado

Outro tiroteio foi registrado na sexta-feira (17), pela madrugada, quando um grupo de 235 militares e 70 policiais civis entraram no Alemão e entraram em conflito com traficantes do Comando Vermelho.

No domingo (19), 220 agentes das Forças Armadas
e 45 policiais voltaram à comunidade para fazer o reconhecimento do local e ainda cumprir outros objetivos específicos. Não foram feitas prisões.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários Facebook

Nacional

Comissões discutem adoção de protocolo clínico no SUS para prevenir retinopatia diabética

Publicado

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Saúde - geral - diabetes - glicosímetro - medidor de glicose
O controle da glicemia é uma das etapas do protocolo

As comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; e de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados promovem audiência pública na quarta-feira (17) para discutir a implementação do Protocolo Clínico de Retinopatia Diabética no Sistema Único de Saúde (SUS), voltado para idosos.

O intuito do protocolo é prevenir ou diagnosticar precocemente a doença ocular, que ocorre em decorrência de uma complicação da diabetes.

“Estudo publicado em 2019 pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia ressalta que a retinopatia diabética é responsável por 4,8% dos 37 milhões de casos de cegueira devido a doenças oculares, o que equivale a 1,8 milhão de pessoas”, informa o deputado Dr. Zacharias Calil (União-GO), idealizador do debate em conjunto com as deputadas Flávia Morais (PDT-GO) e Professora Dayane Pimentel (União-BA).

Outro levantamento, acrescenta o parlamentar, divulgado no Geriatric Diabetes: Informa Healthcare, estima que 90% das pessoas com diabetes tipo 1 (DM1) e 60% dos pacientes com diabetes tipo 2 (DM2) terão algum grau de retinopatia após 20 anos de diagnóstico.

Dr. Zacharias Calil afirma ainda que, como o protocolo clínico ainda não está disponível no SUS, hoje é um desafio imenso para uma pessoa com diabetes ter acesso ao diagnóstico e ao tratamento da retinoplatia.

“O paciente precisa passar por uma Unidade Básica de Saúde (UBS), dizer que tem diabetes e fazer uma queixa oftalmológica para ser encaminhado a um médico (geralmente um clínico geral). A maioria das UBSs do País sequer tem oftalmologista”, alerta. “O tratamento pode levar mais de um ano e, em muitos casos, já não é possível reverter o grau de cegueira instalada.”

Veja Mais:  Seminário debate proposta de classificação econômica para profissionais de beleza

Convidados
Foram convidados para o evento:
– o presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Levimar Araújo;
– a coordenadora do Departamento de Saúde Pública da Sociedade Brasileira de Diabetes, Karla Melo;
– a representante da Associação Botucatuense de Assistência ao Diabético,  Vanessa Pirolo;
– o presidente da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, Arnaldo Furman Bordon;
– o presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Cristiano Caixeta;
– o diretor-presidente da ADJ Diabetes Brasil, Lucas Leme Galastri; e
– representante do Ministério da Saúde.

Como assistir
A reunião será realizada no plenário 12, às 14 horas. O público poderá acompanhar o debate ao vivo por meio do portal e-Democracia.

Da Redação – MO

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Às vésperas do fim do prazo, número de candidatos a deputado federal supera 7 mil

Publicado

Thiago Fagundes/Agência Câmara

As eleições para Câmara dos Deputados devem contar com pelo menos 7.169 candidatos que já se inscreveram na Justiça Eleitoral. O prazo para registro das candidaturas termina nesta segunda-feira (15) e o número ainda pode crescer. Nas eleições de 2018, foram 8.588 candidatos a deputado federal.

O perfil dos candidatos registrados até o momento já mostra que pode aumentar proporcionalmente o número de candidatas mulheres e de candidatos que se autodeclaram pretos. Em 2018, havia 32% de mulheres e 11% de candidatos negros. Na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estão 2.435 candidatas mulheres (34%) e 1.001 negros (14%).

Outra mudança significativa é no perfil da escolaridade dos candidatos. Entre os registrados até o momento, 61% têm ensino superior completo. Em 2018, eram 54%. Também aumentou proporcionalmente o número de candidatos com patrimônio declarado de R$ 1 milhão ou mais. Até o momento são 1.101 milionários registrados ou 22% dos que declararam os bens à Justiça Eleitoral. Em 2018, eram 1.047 ou 19%.

Outras características do perfil dos candidatos se mantiveram semelhantes à eleição passada. Dos registrados, 44% têm mais de 50 anos e 32% têm entre 41 e 50 anos. Quase 53% são casados. As profissões mais comuns continuam sendo a de empresário (908 candidatos) e advogado (614), além de profissionais da educação (440) e servidores públicos (429).

Veja Mais:  Prefeitosanunciam apoio ao projeto de lei anticrime de Sérgio Moro

Reportagem – Francisco Brandão
Edição – Wilson Silveira

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Proposta reduz para 18 anos a idade mínima para trabalhar como mototaxista ou motoboy

Publicado

Billy Boss/Câmara dos Deputados
Audiência pública - Concessão da rodovia BR-040 trecho Belo Horizonte-Rio de Janeiro/RJ. Dep. Charlles Evangelista PP - MG
Charles Evangelista espera dar mais oportunidades de emprego  aos jovens

O Projeto de Lei 1821/22 reduz de 21 para 18 anos a idade mínima para exercício profissional de motociclista no transporte de passageiros e mercadorias. O texto em análise na Câmara dos Deputados altera a Lei do Mototáxi e Motoboy.

Adicionalmente, a proposta elimina a atual exigência de pelo menos dois anos de habilitação para quem pretende exercer atividade remunerada como mototaxista ou motoboy. Será mantida a necessidade de aprovação em curso especializado.

“A ideia é dar oportunidade de trabalho aos jovens a partir dos 18 anos que estão desempregados, alocando-os na classe dos transportadores de passageiros e mercadorias”, disse o autor da proposta, deputado Charlles Evangelista (PP-MG).

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões Viação e Transportes; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Rachel Librelon

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Veja Mais:  PT reelege Gleisi como presidente e fala em aproximação com o centro político
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana