Rondonópolis

Saúde se engaja nos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Publicado

Foto: Divulgação

Começam nesta sexta-feira (20) os eventos voltados ao combate à violência contra as mulheres. A programação faz parte dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, campanha a qual a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) junto com a Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social, a Defensoria Pública, a Delegacia da Mulher, a Ciclo Sport Bicicletas e a Rondonetto Transportes fortalecem em Rondonópolis com programação para discutir o tema com a sociedade.

Criada em 1991, essa é uma campanha mundial que ocorre todo ano com início em 25 de novembro (Dia Internacional da Eliminação da Violência contra as Mulheres) e término em 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). No entanto, no Brasil, ela principia em 20 de novembro.

“No nosso país, os 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres foram ampliados e temos como data de abertura das ações 20 de novembro, que é o Dia Nacional da Consciência Negra, justamente porque, oficialmente, as estatísticas apontam a mulher negra como a maior vítima dessa mazela”, explica Edna Rodrigues, assistente social e profissional responsável pelos programas de combate às diversas formas de violência na sociedade da SMS.

Porém, Edna ressalta que nem sempre os registros retratam o que de fato acontece.  “Nos dados oficiais predominam casos de mulheres negras e de classe baixa como alvos desse tipo de situação. Mas sabemos que aquelas que se enquadram em outro perfil, como as brancas e de classe A, em geral, buscam outras alternativas para resolver o problema. Muitas vezes, elas recorrem a consultórios de psicologia em vez de irem a uma delegacia”, observa.

Veja Mais:  Rondonópolis fecha primeiro trimestre como maior exportador de MT e 14º do Brasil

Este ano, em função da pandemia de coronavírus, a Saúde lança mão dos meios de comunicação para debater essa importante questão. Assim, o diálogo com a população está sendo feito através da mídia, onde Edna tem alertado, por meio de entrevistas, para a situação alarmante que atinge as mulheres que vivenciam relações de violência.

FORMAS DE AGRESSÃO
Falar sobre a violência contra a mulher é uma questão de prevenção à saúde, como adverte a assistente social: “Além do feminicídio e das consequências sociais, como a desestruturação familiar, essa prática acarreta às suas vítimas prejuízos pessoais, causando danos emocionais e psicológicos, atingindo sua saúde mental e levando, inclusive, à depressão. Dessa forma, a autoestima, as capacidades de socialização e de trabalho da mulher ficam comprometidas e ela passa a se isolar de familiares e amigos e deixa de acreditar no seu potencial produtivo”.

Edna lembra que a opressão contra a mulher não se resume a agressões físicas, mas ocorre em um crescendo: “A violência não é só um soco na cara, um braço quebrado ou uma mancha roxa, mas também um empurrão, um beliscão ou mesmo uma forma de agressiva de puxar a mulher pelo braço”.

Pequenas atitudes podem prenunciar outras futuras se forem permitidas e, assim, gradativamente, o agressor invade a vítima. “A agressão, na maioria das vezes, inicia-se maneira psicológica, com um xingamento, um tom de voz rude, palavras hostis, apelidos, ironia, restrição da liberdade e, aos poucos, avança, se materializando na violência física, sexual, patrimonial e financeira”, destaca a profissional da Saúde.

Veja Mais:  Assembleia de Deus esclarece que assaltante preso em Rondonópolis não é pastor

DENÚNCIAS
Muitas vezes, a mulher está tão fragilizada psicologicamente que sequer consegue romper o ciclo da violência e denunciar ou pedir ajuda a alguém. Por isso, Edna frisa:

“Em briga de marido e mulher tem que meter a colher, sim. Se alguém sabe ou, mesmo, suspeita que esse tipo de violência está ocorrendo, deve avisar a polícia que ela fará a investigação. Não é preciso se identificar, pois a denúncia pode ser anônima”.  Ela ainda sublinha:

“Não existe mais substituição da penalidade aplicada ao agressor por trabalho comunitário e, caso seja determinada a medida protetiva e ele venha a desrespeitar o distanciamento estipulado, pode ser preso”.

Há vários locais onde a denúncia pode ser feita, tanto de forma presencial como por telefone. Na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM), o atendimento ocorre presencialmente na Rua Armando Farjado 372, Vila Aurora, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30 – sem fechamento no horário de almoço – ou pelos telefones 3423-1133/1754. Outro canal disponível para comunicação com a DEDM é o WhatsApp 9 9954-5213.

Já o Conselho da Mulher fica na Avenida Tiradentes 1.904, Centro e está aberto das 7h às 11h e das 13h às 17 horas, durante a semana. O número para quem preferir ligar é 3411-5005. Também é possível denunciar na Central de Atendimento da Secretaria Nacional de Política para Mulheres pelo 180 ou, ainda pelo 190 da Polícia Militar e pelo 197 da Polícia Civil.

Veja Mais:  Unidades do Cras funcionam neste sábado (8) para entrega do cartão "Ser Família Emergencial"

PEDALADA ATIVISTA
Outra atuação dos parceiros dessa campanha em Rondonópolis será uma pedalada, que vai marcar o Dia do Laço Branco, definido no calendário como 06 de dezembro, e que tem como objetivo específico sensibilizar o público masculino, já que surgiu no Canadá, sendo iniciativa de homens que desejavam mostrar ao mundo que defendem a harmonia e o respeito no relacionamento e se opõem a qualquer tipo de violência contra o sexo feminino.

Programada para o sábado, 05 de dezembro, com concentração às 7h30 e saída às 8 horas da Praça dos Carreiros, quem quiser participar da mobilização pode se dirigir ao local neste horário com sua bike.

“Apesar da data do Laço Branco ser 06 de dezembro, decidimos fazer o circuito no dia 05 porque, sendo sábado, o comércio está aberto e, então, daremos mais visibilidade ao encontro, abarcando um maior número de pessoas. E, mesmo que esse dia seja voltado para o universo masculino, a pedalada é extensiva à população em geral, já que é importante conscientizar a todos. Ainda estamos definindo o trajeto, mas pedalaremos em ruas do Centro da cidade. Então, quem quiser se integrar a esse enfrentamento é só aparecer por lá, não é necessário fazer inscrição”, comenta a assistente social.

Comentários Facebook

Rondonópolis

Assembleia de Deus esclarece que assaltante preso em Rondonópolis não é pastor

Publicado

José Genésio e Ildo Rodrigues- Foto: Assessoria

O pastor Ildo Rodrigues, secretário adjunto da diretoria da igreja evangélica Assembleia de Deus, em Rondonópolis, representante direto do pastor José Genésio da Silva, presidente da IEAD na cidade, esclareceu, na noite desta sexta-feira (7), que Raimundo Nonato de Souza, de 48 anos, preso em Rondonópolis durante um assalto que resultou na subtração de R$ 40 mil, em uma agência bancária local, não é um pastor da agremiação.

Diferente do que muitos veículos de comunicação divulgaram, aportados em falas informais levantadas por testemunhas, Raimundo é um membro cooperador da igreja, que teve seu encontro com Deus quando ainda estava no presídio da Mata Grande, para onde acaba de retornar. O pastor Ildo afirma que Nonato nunca recebeu da igreja tal cargo de liderança.

“Ele foi batizado nas águas, encontrou Jesus e como não podemos ter acesso a todos os atos da comunidade evangélica que existe dentro do presídio, Raimundo acabou, por algum momento, orando com seus irmãos de cela, louvando ao senhor e por seu perfil, eventualmente, pode ser que ali adquiriu certa liderança entre os dele. Mas isso jamais teve o crivo da igreja, a ponto de lhe ser atribuída tal nomenclatura”, detalhou.

Ildo acrescenta que o irmão Eli Alves foi quem sempre pastoreou e coordenou o trabalho da Assembleia de Deus dentro da Mata Grande. Eli perdeu a batalha para a COVID-19, em janeiro de 2021. “Raimundo chegou a ser solto pelo bom comportamento que acumulou, aqui fora o acolhemos, constituiu família e tornou se nosso cooperador, o que, obviamente, tem uma distância enorme até a posição de pastor”, reiterou.

Veja Mais:  Vereadores aprovam recursos para término das obras dos Parques das Mangueiras e Escondidinho em Rondonópolis

O pastor diz que a igreja lamenta o fato, mas reforçou que apoia integralmente o trabalho da polícia e da Justiça no caso. ”Infelizmente, não podemos prever e muito menos impedir uma situação dessas. Muitos são os que nestas condições jamais retornam à sua antiga vida, mas há alguns que caem e a partir disso nós esperamos que a justiça dos homens faça seu trabalho, não nos resta mais nada. Deus, em sua infinita misericórdia, sempre estará de braços abertos pra ele e pra todos nós”, finaliza Ildo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Unidades do Cras funcionam neste sábado (8) para entrega do cartão “Ser Família Emergencial”

Publicado


Os sete Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), de Rondonópolis, vão estar abertos e funcionando neste sábado (08) das 7h até o meio dia, para a entrega dos Cartões de Auxílio Emergencial aos inscritos no programa de assistência social “Ser Família Emergencial” do Governo do Estado, que pretende beneficiar mais de 100 mil famílias de Mato Grosso, com um auxílio de R$ 150,00 durante cinco meses.

CRAS LOCAIS

Em Rondonópolis, os sete Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), estão distribuídos por vários bairros como: CRAS – CEU – no Residencial Margaridas; CRAS – Ana Carla no Residencial Ana Carla; CRAS – Conjunto São José; CRAS – Rio Vermelho, próximo ao Centro POP; CRAS – Luz da Iara, próximo a feira da Vila Operária; CRAS – Jd. Iguaçu e, CRAS  – Alfredo de Castro.

O horário de atendimento aos contemplados pelo programa será das 7h às 12h (meio dia. As pessoas beneficiadas pelo programa, já estão sendo comunicadas via telefone pelos servidores dos CRAS locais, e deverão se dirigir pessoalmente a unidade mais próxima de sua residência portando o RG e o CPF.

De acordo com o programa “Ser Família Emergencial” da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc), cada beneficiário receberá um cartão magnético aceito numa rede pré-estabelecida do comércio local, que lhe dará direito a custear despesas de até R$ 150,00/mês, durante cinco meses.

Veja Mais:  Rondonópolis fecha primeiro trimestre como maior exportador de MT e 14º do Brasil

“O valor é destinado à aquisição de alimentos, gêneros de primeira necessidade, não pode ser usado para comprar bebida alcoólica, por exemplo”, explicou a secretária Municipal de Promoção e Assistência Social Neiva de Col.

Inicialmente 16 empresas distribuídas em diversos bairros da cidade estão cadastradas para receber o Cartão Auxilio Emergencial. São açougues, mercearias, padarias, mercados e mini-mercados, e frutarias, etc.

De acordo com a Secretária Neiva, esse programa é fundamental nesse momento de pandemia, pois oferece um pouco mais de conforto e segurança alimentar para famílias extremamente carentes.

Em Rondonópolis, por exemplo, pelo menos 5.328 pessoas já se inscreveram e estão aptas a receber esse benefício emergencial. Toda via a expectativa é que pelo menos mais 1 mil pessoas também deverão ser alcançadas pelo benefício.

Todavia, os candidatos a receber o auxílio precisam preencher as exigências do programa, e ter renda média per capta de até R$ 89,00/mensais.

De acordo com a secretaria de Ação Social essa ação dos CRAS funcionarem num sábado, visa sobretudo, auxiliar as pessoas beneficiadas pelo programa a receber a primeira parcela do auxílio já nesse sábado (8), véspera do dia das mães.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Há 20 anos, Rondon Plaza Shopping transformava o comércio de Rondonópolis

Publicado

Foto: Assessoria

O dia 7 de maio 2001 ficou marcado na história de Rondonópolis, como a data que o comércio da região subiu de nível e os consumidores puderam experimentar o conceito “de tudo em um só lugar”, assim era inaugurado o Rondon Plaza Shopping que em 20 anos se consolidou como maior centro comercial e de serviços da região sudeste de Mato Grosso. O impacto da chegada do shopping foi imediato modernizando e ampliando a forma dos rondonopolitanos de fazer compras, utilizar serviços e se divertir.

Essa data significativa para o setor, também repercute entre as entidades ligadas ao comércio de Rondonópolis e região. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Rondonópolis (ACIR), Renato Del Cistia destaca a importância do empreendimento para região da grande Aurora, e para toda a cadeia de fornecedores que atenderam a construção da estrutura do shopping e na sequência das lojas. “Era uma região que acabava vindo da Avenida Lions, e dali para frente era mato e não tinha quase nada. No fim da década de 90 quando do lançamento do shopping aquela região começa a tomar corpo e uma nova identidade, com um impacto muito importante para economia, primeiro porque os construtores faziam questão de comprar na cidade, e você se obrigava a ter um comércio melhor e preparado para atender a obra do shopping. Agora, passados 20 anos a região se desenvolveu e hoje quanto está um metro quadrado por lá, com prédios residenciais, um grande hotel e um prédio comercial para sair, portanto, o Rondon Plaza foi um divisor de águas para Rondonópolis e parabéns aos empreendedores e ao Rondon Plaza Shopping”, comentou.

Veja Mais:  Rondonópolis fecha primeiro trimestre como maior exportador de MT e 14º do Brasil

Para o presidente da Câmara de Diretores Lojistas de Rondonópolis (CDL), Thiago Speranza a vinda do shopping para Rondonópolis mudou conceitos e modernizou o jeito os clientes realizarem suas compras. “Nós desejamos as nossas felicitações a todos do Rondon Plaza Shopping, o pessoal do administrativos, lojistas e colaboradores. Nós como presidente da CDL entendemos que foi um marco para Rondonópolis pensar que há 20 anos atrás, os empresários tiveram esta visão de empreender, onde transformou muito a cultura local do comércio, principalmente no formato de lojas, no modelo de estacionamento com segurança, um horário amplo e uma praça de alimentação com variadas opções. Então com muito orgulho, nós queremos agradecer o afinco não só da gestão do shopping, mas também aos empresários que acreditam, e com isso, contem com a CDL e obrigado pela parceria que temos dos últimos anos”, disse.

Parte do grande êxito do Rondon Plaza é de responsabilidade das empresas e lojas que atuam em vários seguimentos dentro do shopping, que são representados pela Associação de Lojistas do Rondon Plaza Shopping (Alorps), o atual presidente Gileno Gomes de Almeida, acredita que o RPS tem uma a crescer. “Nós estamos sonhando com a passagem desta pandemia, para que possamos realizar os projetos que não tivemos a oportunidade de colocar em prática, no momento estamos com muito trabalho de mídia, pois que não é visto não é lembrado e vamos mostrar a cara das lojas do Rondon Plaza, com o canal no YouTube com muita coisa legal, como no quadro semanal Café com Lojista, para estarmos mostrando o que temos de melhor nas lojas e dos nossos empreendimentos”, concluiu.

Veja Mais:  Obras de pavimentação avançam em três distritos industriais de Rondonópolis

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Rondonópolis (Sincomroo), Geovane Reis Sales exalta o fortalecimento do setor com a chegada do shopping há duas décadas. “Com o Rondon Plaza Shopping, o comércio varejista de Rondonópolis ganhou mais força, com as novas opções para os consumidores, um horário mais ampliado e a possibilidade de encontrar quase todos os segmentos em um só lugar. Hoje, o shopping faz parte da vida dos rondonopolitanos e só temos que felicitar a todos que fazem parte desta história de sucesso”, destacou.

Com seus 20 anos, o Shopping está recebendo uma repaginação visual e a modernização de alguns espaços. Para este ano emblemático, o superintendente do Rondon Plaza, Giovanni Zem adianta que o maior centro de compras e serviços do interior de Mato Grosso estará diferente. “Nós escolhemos 2021 para fazer esta grande reformulação na aparência do shopping, por se tratar de uma data de extrema importância para nós, chegar com 20 anos em forma, firme e forte. Iniciamos uma repaginação no shopping, tanto na parte externa como interna, na área de caminhada, uma pintura nova e uma nova logo. Junto com isso, ficamos muitos felizes de receber visita de grandes empresários e lojistas nacionais interessados em empreender em nosso espaço”, finalizou.

Rondon Plaza em números: Área total construído de 24 mil m², em um terreno 61.062,37 m². São 90 lojas e 30 quiosques, além de uma praça de eventos. Segundo o senso de 2020, o Rondon Plaza oferta 850 funcionários diretos e aproximadamente 500 empregos indiretos, que incluem alfaiates, produtores rurais, contadores, entregadores e autônomos.

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana