conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Policial

Sobrinho de policial civil desaparece em Pedra Preta-MT

Publicado

Reprodução

Reprodução

O sobrinho de um policial civil, identificado como Rivaldo Rocha Araújo, de 31 anos, desapareceu nesse domingo (20), depois de sair de casa e dizer para a esposa que iria visitar o sogro em um sítio do município de Pedra Preta (241 km ao sul).

À reportagem, a equipe da Polícia Civil de Pedra Preta informou que o boletim sobre o desaparecimento foi registrado às 20h de ontem.

Conforme o boletim de ocorrência, a esposa de Rivaldo contou que o marido saiu de casa 10h30 e disse que iria de moto para o sítio do sogro. Cerca de uma hora depois, a mulher se dirigiu até a casa do pai e não encontrou o marido. Os familiares então até às 15h e passaram então a ficar preocupados.

Os próprios parentes fizeram buscas na região, mas nenhuma pista do paradeiro de Rivaldo foi localizada.

Ainda em depoimento à polícia, a mulher contou que o esposo não possui rixa com ninguém e que não tem nenhuma suspeita do que possa ter acontecido com ele.

Rivaldo é sobrinho de um escrivão da Polícia Civil que atua no município. O policial foi vice-prefeito no mandato anterior.

Qualquer informação sobre o paradeiro de Rivaldo pode ser informado através dos telefones (66) 3486-1190 ou (66) 9 9999-5526.

Comentários Facebook
Veja Mais:  Batalhão Ambiental flagra homem com 90 peças de peixe ilegal em Poconé

Policial

Operação integrada resulta em 33 prisões preventivas e desmantela facção criminosa

Publicado


.

Débora Siqueira/Sesp-MT

Forças de segurança pública do Estado cumpriram 87 mandados de prisão, busca e apreensão, dos quais 33 prisões são preventivas e três em flagrante delito nas cidades de Alta Floresta, Carlinda, Nova Monte Verde, Paranaíta, Juína, Juruena, Cotriguaçu, Cuiabá, Sorriso e Sinop.

As investigações apontam que a suspeita de comandar a organização em Alta Floresta e regiões adjacentes é uma presa de 29 anos, que cumpre mais de 100 anos de condenação na Penitenciária Ana Maria do Couto, em Cuiabá.

O delegado Pablo Carneiro, da Delegacia Municipal de Alta Floresta, coordena a investigação e representou pelos pedidos de prisões dos membros da quadrilha que ordenaram execuções e são responsáveis pelos crimes nos municípios das Regiões Integradas de Segurança Pública de Juína e Alta Floresta.

Para chegar aos integrantes do grupo criminoso, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) organizou a Operação Vitae III, reunindo cerca de 150 agentes públicos entre a Polícia Militar, Polícia Civil, Sistema Penitenciário, Politec e o Corpo de Bombeiros. 

 

Investigações

No segundo semestre de 2019, houve uma concentração de esforços por parte da PM e da Polícia Civil no combate ao tráfico de drogas em Alta Floresta. Foi constatado na época que a maior parte dos entorpecentes que chegava à região era proveniente de ações coordenadas por um líder de facção criminosa, que cumpre pena na Penitenciária Central do Estado (PCE), mas que hoje se diz convertido e está na ala evangélica da unidade.

Veja Mais:  Policiais Militares atuam na sanitização das unidades da PM no combate ao coronavírus

Depois de muitas investidas policiais, o grupo sofreu um abalo financeiro, o que fez com que esta liderança perdesse o controle do tráfico na região, sendo o comando assumido por outro grupo, liderado pela mulher de 29 anos.  Ela escolheu Alta Floresta como “cidade polo” para concentrar as ações da organização criminosa, sobretudo a distribuição de entorpecentes, pela posição geográfica privilegiada da cidade, que possui conexão em diferentes rotas com outros municípios.

“A privação de liberdade não foi obstáculo para que ela comandasse todo o comércio de entorpecente na cidade e demais municípios que têm Alta Floresta como referência na distribuição de entorpecentes. Pela apuração, pode-se afirmar que ela teve uma rápida ascensão na estrutura da facção por conta de seu perfil cruel, frio e calculista, agindo sem nenhuma piedade diante àqueles que ela vê como um obstáculo na busca do monopólio e domínio do comércio de drogas no extremo norte”, destacou o delegado Pablo Carneiro.

Para o comandante regional de Alta Floresta, tenente-coronel PM Denílson de Arruda, a operação Vitae III tem impacto positivo na região.

“É a demonstração dos órgãos de segurança agindo em prol da sociedade. Foi um impacto extremamente positivo e a criminalidade percebe e sente que os órgãos de segurança atuam de forma integrada para dar segurança a todos. Esperamos que isso se reflita na sensação de segurança e a redução dos crimes na região”.

Veja Mais:  PM detém homem com 146 porções de maconha dentro de sacola

Juína

O delegado regional de Juína, Carlos Francisco de Moraes, destacou que na região foram cumpridos 18 mandados de buscas, sete mandados de prisão, quatro prisões em flagrante, um boletim de ocorrência circunstanciados para apuração de ato infracional, além de três flagrantes por porte ilegal de arma de fogo.

“Esse grupo migrou de Alta Floresta para a região de Juara e Juruena, inclusive um dos suspeitos que já está sendo investigado como por ter cometido três homicídios na cidade de Juara. Eles queriam impor a facção criminosa, se estabelecendo por meio da violência. Nós apreendemos em operações anteriores armas de fogo, como metralhadora e pistolas. Essas investigações geraram a informação que essas pessoas faziam parte e integravam essa organização criminosa e isso tudo vinculado às pessoas que estavam sendo investigadas em Alta Floresta”.

Para ele, o resultado da Operação Vitae III é satisfatório por prender integrantes da facção criminosa e também pela expectativa de que esse baque possa diminuir índices de criminalidade e violência na região, sobretudo, os crimes de homicídios, roubo e furto.

Fase 2 da operação

Comandante da Polícia Militar em Juína, tenente-coronel Fábio Luiz Bastos destacou que a operação é desenvolvida em duas fases. A primeira fase foi a repressiva, com cumprimento de mandados de prisão e busca apreensão, resultado das investigações da Polícia Civil que a Polícia Militar, Sistema Penitenciário, Corpo de Bombeiros e a Politec atuaram como apoio no cumprimento.

Veja Mais:  Mulher agredida foge de casa para chamar PM e suspeito é preso com armas de fogo

“Agora nós estamos na segunda fase da operação que é a fase preventiva e, nessa fase, a Polícia Militar fica responsável em planejar e coordenar as ações preventivas por meio de patrulhamento, saturação, bloqueios policiais, abordagens da pessoa, veículos, estabelecimentos, bares, pontos de estacionamento ostensivo em locais estratégicos visando, após a parte repressiva de prisão de infratores, fazer a parte preventiva voltada a população de bem, para melhorar a segurança, a sensação de segurança e inibir  a atuação de criminosos. Esse é o fruto da operação integrada”.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Homem procurado por homicídio é localizado e preso no bairro Osmar Cabral

Publicado


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

Um homem foragido da Justiça foi preso pela Polícia Civil na terça-feira (07.07), durante ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá para cumprimento de mandado judicial pelo crime de homicídio. 

O procurado de 42 anos estava com a ordem de prisão decretada pelo juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. Ele responde processo criminal por homicídio.

Os policiais civis da Derf-Cuiabá realizaram diligências e conseguiram localizar o suspeito no bairro Osmar Cabral, na Capital.

Após a prisão, ele foi conduzido para as providências cabíveis e posteriormente transferido para uma unidade prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Homem é conduzido à delegacia por transportar paca abatida e pescado ilegal
Continue lendo

Policial

PM detém homem com 146 porções de maconha dentro de sacola

Publicado


.

Policiais militares da 6ª Companhia Bosque da Saúde prenderam nesta quarta-feira (08.07) um homem por tráfico de droga no bairro Jardim União, em Cuiabá.

A equipe estava em ronda quando foi informada das características físicas de um suspeito que estaria traficando na região. Em diligência, os policiais encontraram o denunciado que carregava uma sacola.

Foi solicitada ordem de abordagem e confirmado que ele carregava 146 porções de maconha já prontas para venda, além de rolos de plástico filme e uma balança.

Questionado, ele disse que vende o entorpecente nos bairros Jardim União e Jardim Florianópolis.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Homem é conduzido à delegacia por transportar paca abatida e pescado ilegal
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana