Mato Grosso

Seduc realiza em Cuiabá 1º Fórum Estadual de Educação Indígena

Publicado

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) realizou, nos dias 28 e 29 de junho, no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá, o 1º Fórum de Educação Escolar Indígena. Organizado pela Secretaria Adjunta de Gestão Educacional (SAGE), Superintendência de Diversidades (SUDI) e Coordenadoria de Educação Escolar Indígena (COEI), teve o propósito de deliberar, junto à comunidade, as necessidades relacionadas a Educação Indígena em Mato Grosso.

O evento contou com representantes das Diretorias Regionais de Educação (DREs), Conselheiros de Educação e diretores escolares da gestão administrativa e pedagógica das escolas indígenas. No encontro, foram deliberadas as ações de Políticas Públicas para a Educação Indígena, que atenda as especificidades das etnias e os seus mais de 12 mil alunos que frequentam as 70 escolas de educação indígena no estado.

Em um dos principais painéis, foi realizada a apresentação e análise de Avaliação Diagnóstica referente a 2021, pelo coordenador de Educação Escolar Indígena, Lucas de Albuquerque Oliveira, e pelo técnico pedagógico da Seduc, Samuel Chaves. Eles debateram os Modelos de Atendimento Educativo para Educação Escolar Indígena e o papel das DREs na Gestão Administrativa e Pedagógica das Escolas Indígenas.

Para Lucas de Oliveira, este é o momento de proposituras da Educação Escolar Indígena. “O Fórum Estadual é um momento ímpar para as nossas escolas, por meio das lideranças e diretores em todo o estado. Eles vieram de longe para trazer a realidade e aperfeiçoar o atendimento da Educação Escolar Indígena’’, pontuou.

Veja Mais:  Rotam apreende adolescente de 15 anos com duas malas com maconha

O presidente do Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena (CEEEI), Filadelfo de Oliveira Neto, da etnia Umutina, do município de Barra do Bugres, falou sobre a importância do Fórum e dos temas a serem pautados em prol da comunidade. “Buscamos dialogar sobre a formação continuada para nossa comunidade escolar e precisamos que nossas crianças tenham acesso a um conhecimento de qualidade. Entendemos que a realização do Fórum é fundamental para o avanço na Educação Escolar Indígena no nosso Estado’’, afirmou.

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou que a realização do evento é um ato importante para Educação Pública em Mato Grosso, diante da grande comunidade educacional que engloba. “Estamos realizando o 1º Fórum Estadual de Educação Escolar Indígena para discutir políticas públicas, infraestrutura, tecnologia e, principalmente, a questão pedagógica e a valorização do profissional da Educação’’.

Segundo o secretário, o balanço das ações e investimentos tem sido substancial em relação aos últimos 10 anos, tendo em vista o aumento de mais de 10% em investimentos na qualidade, infraestrutura, tecnologia, materiais e valorização do profissional na comunidade. Além disso, outros valores importantes, e destacados na gestão, são o acesso, permanência e aprendizagem dos alunos, pontos fundamentais para o desenvolvimento.

Para Alan Porto, é importante ouvir cada um dos presentes e permanecer à disposição, respeitando a cultura e o contexto histórico. ‘’Esta gestão trata a Educação Escolar Indígena de forma responsável, com o objetivo de ouvir cada um dos representantes e fazer com que essas políticas tenham representatividade’’, completou. 

Veja Mais:  Proponente cultural terá que devolver R$ 40 mil ao erário em valores atualizados

O diretor da Escola Estadual Indígena Tapirapé, Rael Xakoiapari, disse que o encontro é o momento propício para falar sobre o destino da Educação Indígena, a fim de fortalecer o ensino de acordo com a constituição e todo o amparo necessário. ‘’O momento é ideal para colocar o nosso anseio, dialogar, debater e levar um retorno positivo para nossa comunidade’’, disse em um gesto positivo de apoio.

O superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil, Agnaldo Santos, ponderou sobre o quão essencial é participar dos debates e escutar a comunidade indígena. “É importante dizer que temos um governador como Mauro Mendes e uma primeira-dama como Virginia Mendes, que realmente têm se dedicado às causas indígenas em Mato Grosso’’, finalizou.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Mutirão Pai Presente volta a ser realizado em Mato Grosso

Publicado

O evento, que estimula o reconhecimento voluntário da paternidade e reduz o número de crianças sem o nome do pai na certidão de nascimento, marcará a retomada dos mutirões desta ação após o período pandêmico. A iniciativa do Pai Presente é uma parceria entre a Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ), por meio da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja) e as Diretorias dos Fóruns. O período será entre 15 e 19 de agosto na maioria das comarcas.
 
É válido ressaltar que o reconhecimento espontâneo é feito a qualquer momento nos fóruns e que as escolas também são parceiras da Justiça nesta ação, muitas repassam orientação às mães de como procurar a Justiça para o reconhecimento. A ação também terá a parceria dos Centros Judiciários de Soluções de Conflitos (Cejusc), ligados ao Núcleo Permanente de Soluções de Conflitos (Nupemec).
 
Cuiabá – O juiz diretor do Foro de Cuiabá, Lídio Modesto da Silva, explica que haverá parceria com o Laboratório Biogenetics Diagnósticos para realização de exames de DNA daqueles que tiverem interesse e dúvidas sobre a paternidade. O interessado deverá recolher o valor de R$ 214,00 até o dia 12/08, para que os processos possam ser inseridos no mutirão e que as partes tenham manifestado interesse na realização do exame. Na Comarca de Cuiabá ele será realizado entre 15 e 20 de agosto.
 
Os interessados deverão procurar a Diretoria do Fórum para cadastramento até o próximo dia 12 de agosto ou encaminhar e-mail para [email protected] com os seguintes documentos: formulário preenchido, acompanhado da cópia dos documentos pessoais das partes, certidão de nascimento da criança, comprovante de endereço dos pais e comprovante de pagamento, se for o caso.
 
Cáceres – A Comarca de Cáceres (distante 225 km a oeste de Cuiabá) também já assegurou a realização do mutirão “Pai Presente” entre os dias 15 e 19 de agosto. O horário será entre 12h e 19h, no Fórum da Comarca, Rua São Pedro, nº 257, Bairro Cavalhada. Mais informações pelo (65) 3211-1351 (whatsapp business) ou [email protected] A ação será conduzida pelo Centro Judiciário de Soluções de Conflitos (Cejusc), cujo responsável é o juiz Pierro de Faria Mendes.
 
“O programa havia sido suspenso na época do Covid. Mas continuávamos realizando os reconhecimentos de forma mais discreta, sem prejuízo das partes e seguindo as orientações sanitárias. Recepção, audiências de mediação e conciliação. Se houvesse o intuito de reconhecimento fazíamos o termo e assinávamos imediatamente. É um direito fundamental a identidade biológica. O que buscamos além de fomentar o reconhecimento da paternidade é simplificar e desburocratizar”, considerou o juiz. Ele ainda destacou que quem não tem o nome de seu pai no registro pode praticar todos os atos civis sem problema.
 
Guiratinga – A Comarca de Guiratinga enviou ofício a sete escolas públicas e uma particular do município, 14 mães compareceram ao fórum. Em quatro casos foram declaradas as paternidades, nos outros casos as mães foram notificadas para apontarem os endereços dos supostos pais.
 
O gestor da comarca, Alcir Joaquim dos Anjos, informou que os procedimentos continuarão sendo realizados pela comarca. As audiências serão conduzidas pelo juiz diretor do foro, Aroldo José Zonta Burgarelli
 
O programa – O Pai Presente é uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) implantada em 2010, e desenvolvida em Mato Grosso por meio de uma parceria entre a Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja) da CGJ-MT e a diretoria dos fóruns nas 79 comarcas.
 
 
#ParaTodosVerem: esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência. Imagem 1: Foto horizontal colorida da equipe do Fórum de Guiratinga. Eles estão perfilado, em pé e em frente ao Fórum. A maioria usa camisas da iniciativa Pai Presente.
 
Ranniery Queiroz 
Assessor de imprensa CG
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Governo lança licitação para recuperar 177 km de rodovia em Brasnorte
Continue lendo

Mato Grosso

Entidades sociais podem se cadastrar para receber recursos do Juizado Especial Criminal de Cuiabá

Publicado

Entidades públicas e privadas com finalidade social ou para atividades de caráter essencial à segurança pública, educação e saúde de Cuiabá podem se inscrever em edital publicado pelo Juizado Especial Criminal (Jecrim) com a finalidade de obter recursos financeiros de prestações pecuniárias, composições civis, transações penais e suspensão condicional de processos.
 
Conforme prevê o Edital de Convocação de Entidades n. 02/2022, assinado pela juíza Maria Rosi de Meira Borba, o objetivo é prestar apoio financeiro a entidades que desenvolvem ações e serviços sociais de interesse público, de acordo com orientações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com isso, o Poder Judiciário contribui para o fortalecimento das entidades selecionadas enquanto espaços de promoção do desenvolvimento humano e comunitário.
 
Requisitos – Podem concorrer instituições sem fins lucrativos e regularmente constituídas, desde que possuam pelo menos um ano de funcionamento; desenvolvam ações continuadas de caráter social nas áreas da assistência social voltada à criança e ao adolescente; sejam entidades parceiras no recebimento/acolhimento e cumpridores de prestação de serviços à comunidade; atuem diretamente no trabalho de ressocialização de crianças e adolescentes em conflito com a lei; atuem diretamente no atendimento e/ou tratamento aos usuários de substâncias psicoativas; apresentem projetos compatíveis com os requisitos do edital; possuam sede própria na Comarca.
 
Prazo – O prazo para as instituições candidatas se cadastrarem é de 30 dias, a partir da publicação do edital no Diário da Justiça Eletrônico (DJE), sendo que o cadastro deverá ser protocolado na Secretaria do Jecrim ou enviado pelo e-mail [email protected]
 
A documentação necessária para o cadastramento, bem como o formato do projeto estão detalhados no edital.
 
Em caso de dúvidas ou necessidade de mais informações, o telefone de contato do Jecrim Cuiabá é o (65) 3313-1126.
 
 
Mylena Petrucelli
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Setasc divulga mais de 3,7 mil oportunidades de emprego pelo Sine Estadual
Continue lendo

Mato Grosso

Dia dos Pais: Conheça três histórias inspiradoras de pais presentes na vida dos filhos

Publicado

A relação entre pais e filhos é muito especial, cheia de carinho, amor e companheirismo. Para celebrar o Dia dos Pais 2022, comemorado no próximo domingo (14 de agosto), a Coordenadoria de Comunicação do Poder Judiciário de Mato Grosso reuniu três histórias que mostram essa relação de forma inspiradora.
 
A construção de relação próxima é fator comum entre as histórias, pois para eles não é apenas ter filhos, e sim estar presente, participar do dia a dia dos descendentes, compartilhando afetos, alegrias e momentos.
 
Pai de menina depois de quatro filhos
 
O juiz da Segunda Vara Criminal de Cuiabá (Execuções Penais), Geraldo Fernandes Fidelis Neto, achava que era um pai realizado com quatro filhos; os gêmeos de 29 anos, Fernando e Eduardo, o estudante Ricardo, 27, e o adolescente Gustavo, de 17. Porém, há quatro anos ele se viu pai de uma menininha.
 
A Luísa vai para escola e tem atividades extras como deveres escolares, natação e inglês. E o papai faz questão de dividir todas as tarefas com a mãe da menina. “Eu a levo para a escola. Dormimos juntinhos. Ela é minha parceirinha”, comenta.
 
O juiz recebeu a equipe de comunicação na casa da família, enquanto ajudava a filha na lição. “Com os meninos, eu já era realizado como pai, mas com a chegada dela, todos nos vimos que faltava alguém especial, que era a Luísa”, comenta Geraldo Fidelis. “Ela é um amor de criança. Amiga, parceira do papai e da mamãe”, diz olhando diretamente para os olhos da caçula.
 
Luísa corresponde aos gestos de carinho, confessa que ama brincar com o pai e que a brincadeira favorita dos dois é jogar bola. Ainda defende quando alguém brinca dizendo que o pai é feio: “O papai é bonito. Te amo papai”.
 
Exemplo da infância
 
O gerente de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Ângelo Fabrício Souza Lima, tem dois filhos. O estudante de Arquitetura, Ângelo, de 18 anos, que cursa a faculdade em Curitiba, e Mateus, de 12 anos, estudante do Ensino Fundamental II em um colégio privado em Cuiabá.
 
Seguindo o exemplo do próprio pai, Ângelo Fabrício, incentiva hábitos saudáveis na vida dos filhos e aproveita esses momentos para fortalecer a relação pai e filho. A equipe de comunicação acompanhou um dia da rotina do pai e do caçula. Os dois estavam no campinho de futebol.
 
“Faço questão de estar presente em todas as atividades do dia a dia dos meus filhos. Isso me remete a minha infância. Meu pai é professor de Educação Física aposentado e me levava para fazer tudo com ele. Busco incentivar, dar suporte para eles, de acordo com a correria do dia a dia eu acho que consigo estar presente”, avalia. Ângelo refletiu sobre a data e escreveu um texto sobre o tema, que pode ser lido neste link 
 
“Para mim pai é isso. Tentar ser exemplo, alicerce, ser amigo. É emocionante parar para pensar nisso. Estar presente na vida dos meus dois filhos”, reflete sem conseguir conter as lágrimas nos olhos. Prontamente é acolhido pelo filho.
 
“Meu pai é muito importante para mim. É meu companheiro, parceiro mesmo. Ele me leva todo o dia para escola, me ajuda bastante. Dá umas estressadinhas de vez em quando, mas a gente se diverte aqui no futebol, na escola, nas festinhas desempenha um papel fundamental na minha vida. Eu gostaria de ser assim quando for pai”, elogia.
 
Os três mosqueteiros
 
O policial que atua na Coordenadoria Militar do TJMT, Paulo Figueiredo, é pai do adolescente Luís Felipe, 16 anos, e de Ana Clara, 5. A esposa faleceu há um ano, em decorrência de um tumor maligno na bexiga, descoberto com 25 semanas de gestação da caçula. “Como a indicação para cirurgia apresentava risco para o bebê, ela tomou a decisão de seguir com a gestação até uma data segura. Eu apoiei a decisão dela”, conta.
 
Ana Clara nasceu prematura de 34 semanas (7 meses) e no mesmo dia da cesariana foi feita a cirurgia para retirada do tumor na bexiga. Posteriormente houve o diagnostico de metástase (invasão de células cancerígenas a outros órgãos do corpo de um indivíduo que, inicialmente, apresentava neoplasia em apenas um órgão), a doença evolui para o pulmão e cérebro. A mulher passou por novo tratamento, mas faleceu em 2021.
 
De lá para cá, apesar da ajuda de amigos e familiares, ele precisa se desdobrar para dar conta de cuidar da rotina diária dos filhos.
 
Os três mosqueteiros, como Paulo Figueiredo chama carinhosamente o núcleo familiar, atenderam a equipe de comunicação do Judiciário na sala da casa deles e como não poderia deixar de ser, o pai honra a lição deixada pela mãe das crianças. “Somos os Três Mosqueteiros: um por todos e todos por um. Eu me divido entre o trabalho e a família, para seguir caminhado e tudo tem dado certo. Eles me dão força eu dou força para eles. Essa troca, essa união familiar que aprendemos com ela, temos mantido”.
 
Emocionado, Paulo reflete sobre a família que construiu. “Sou grato por tudo. A gente passa por muitos momentos difíceis, todos temos dificuldades, mas as alegrias são maiores. A gente se apega nisso para seguir nosso caminho. Hoje em dia tenho dois filhos maravilhosos que são o Luís Felipe, meu primogênito e Ana Clara, minha princesinha e tenho focado nessa missão que me foi dada. De educar, criar, cuidar, e, principalmente ama-los. Tenho certeza que a minha esposa está iluminando nossos caminhos. Ela não está fisicamente, mas sempre está presente nos nossos corações”, reforça o pai.
 
“Meu pai é tudo. Ele é a nossa fortaleza, ainda mais nesse momento. Ele sempre foi muito carinhoso, mas no momento ele está em dobro. Ele sempre foi muito forte e nos momentos que demostra ser vulnerável, é bom, pois a gente constrói um laço afetivo mais forte”, acredita o filho.
 
“Eu te amo, te protejo e confio em você, né filhão”, afirma o pai para o filho. “Te amo, estou sempre com você”, responde o filho.
 
#Paratodosverem Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Descrição de imagens: Foto1: Horizontal e colorida do juiz Geraldo Fidelis e os 5 filhos. Foto 2: Horizontal e colorida do pai ajudando a filha a fazer lição de casa. Foto 3: Vertical e colorida Ângelo no meio dos filhos recebendo beijo dos meninos. Foto 4: Horizontal e colorida Ângelo e Mateus próximo ao campinho de futebol Foto 5: Horizontal e colorida de Paulo Figueiredo, filhos e a esposa em uma praia. Foto 6: Self horizontal e colorida, Paulo ao lado de Luís Felipe e Ana Clara.
 
 
Alcione dos Anjos/ Foto: Arquivo pessoal e reprodução TV.jus
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Moradores da Zona Rural são atendidos no “Ações Integradas”
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana