“Hoje é um dia extremamente importante e feliz para todos nós, principalmente para os nossos formandos que passaram o ano inteiro na Assistência Social, recebendo vários ensinamentos, dinâmicas de como se comportar em uma entrevista, além dos cursos profissionalizantes que ofertamos através do Senai, Senac, AES. É, também, uma noite memorável para os empresários, aos quais agradecemos e homenageamos, entregando-lhes o selo Empresa Legal Amiga do Aprendiz”, declarou a secretária de Assistência Social e primeira-dama, Jucélia Ferro.

O programa teve duração de oito meses, com início em abril e encerramento em novembro. Ao todo, receberam certificado os formados das turmas, do: CRAS Praça Céu (30), CRAS São Domingos (21), CRAS São José (31), equipe volante no Batalhão da Polícia Militar (20), e Mãezinha do Céu (20), que passaram por diversas temáticas relativas ao mundo do trabalho, bem como: oficinas de informática, educação física e teatro realizados por profissionais habilitados.

Veja Mais:  Secretaria de Saúde promove melhorias no Pronto Socorro Municipal

O programa passa pelas seguintes etapas: 1) inscrição das famílias e jovens que desejam participar do Programa; 2) capacitação dos jovens inscritos; 3) sensibilização e parceria com empresas locais; 4) encaminhamento para processos de seleção de emprego de acordo com perfil solicitado pela empresa; 5) certificação dos jovens e premiação das empresas parceiras com o SELO “Empresa Legal Amiga do Aprendiz” e 6) o acompanhamento desse jovem na pós contratação.

O objetivo, é que todos os jovens passem por entrevista de emprego e conquistem sua vaga no mercado de trabalho, com contrato de trabalho formal e legalizado. Este ano, mais de 60 jovens já estão contratados, como Aprendiz e como Adolescente Trabalhador, que são adolescentes acima de 16 anos, em que já podem trabalhar com carteira assinada, de maneira formal, por até 8 horas, desde que permaneça na escola e não seja trabalho acima das 22 horas, em lugar perigoso, penoso ou insalubre, como está na lei.

Segundo a gestora do AEPETI, Milana Silvia Higino Mendes, esse Programa Aprendiz Sorriso Legal, tem como objetivo erradicar o trabalho infantil no Município por meios da capacitação e inserção no mercado de trabalho de jovens entre 15 e 17 anos, que terão a primeira experiência profissional formal, pois muitos vêm egressos do trabalho infantil, que é uma grande violação aos direitos das crianças e adolescentes e traz graves consequências à vida adulta destes jovens. Pode parecer “que é melhor o jovem estar trabalhando que no mau caminho”, como muito se ouve, mas o que muitos não veem é que no futuro, nem sempre o caminho que o trabalho infantil leva é para o melhor desenvolvimento das potencialidades do jovem, especialmente num mundo em que cada dia mais exige capacitação. Além de podermos mostrar que essa não deve ser a única opção para não ir para um mau caminho, existem muitas outras que passa pelo desenvolvimento de potencialidades e dos sonhos desta geração jovem.

Veja Mais:  Com apoio da Semob, Instituto Flauta Mágica se apresenta em diferentes pontos da Capital

“Quando se analisa os dados, percebe que existe uma grande procura dos jovens pelo mercado de trabalho. É perceptível que o programa realmente traz essa segurança para os jovens de se prepararem e terem essa oportunidade de concorrer a vagas e devido às parcerias com as empresas, terem mais facilidade de ingressarem num processo de seleção. Mas, infelizmente, alguns, acabam desistindo, pela ânsia em ter o emprego logo e acabam por ingressar despreparados no mercado de trabalho, que geralmente oferece empregos na informalidade”, disse, Milana.

Há uma proposta apresentada pela Secretaria de Assistência Social à Administração Municipal, para o Programa Aprendiz Sorriso Legal ser implementado como um projeto de lei municipal, com um conjunto de regras e inovação de vagas, também, nos órgãos públicos de Sorriso. “Se conseguirmos tornar o programa uma lei municipal, teremos um grande avanço, fazendo com que a gente aumente ainda mais a capacidade de absorção desses jovens para a inserção no mercado de trabalho” frisa, Milana.

Segundo informações da Secretária de Assistência Social, em 2022, 100% dos jovens que se formaram no projeto, foram contratados. “Nós sabemos que é difícil ter essa primeira experiência do primeiro emprego, e para isso, nós temos que estender a mão a todos eles. Então esse projeto vem de encontro com as empresas de Sorriso que são muito generosas e abraçaram o nosso projeto de forma carinhosa. No ano passado conseguimos encaminhar todos os jovens, capacitados ao mercado de trabalho, isso é motivo de muito orgulho. Queremos agradecer a todos que nos incentivam e ao prefeito Ari Lafin, que apoia esse projeto grandioso em nosso Município”, finaliza, Jucélia.

Veja Mais:  Prefeitura chama mais 400 aprovados no seletivo HMC para iniciar trabalhos e avança para 51% das convocações